Backstage News DF 15/02/19 – MPDFT pede cassação do deputado distrital José Gomes

O Backstage News é um produto diário da Tracker Consultoria que reúne os principais colunistas de política do DF com informações dos bastidores do Poder.

 

CORREIO BRAZILIENSE

Eixo Capital
Ana Maria Campos

É fogo…
Extintores de incêndio de hospitais públicos do DF estão vencidos desde 2015, segundo integrantes do governo. A substituição está sendo feita em regime de urgência no programa SOS Saúde. Não dá para esperar nem mais um dia. Não é a primeira vez que isso ocorre. Em 2012, o Corpo de Bombeiros encontrou dispositivos com data de validade expirada havia mais de um ano. Em 2018, o Tribunal de Contas do DF determinou a substituição dos extintores do Instituto Hospital de Base.

Arrecadação bombada
A arrecadação do Distrito Federal cresceu R$ 133 milhões em janeiro deste ano, em comparação com o mesmo mês de 2018. Mais do que o governo pretende economizar, por exemplo, com as restrições para o passe livre estudantil. Agora a receita chegou a R$ 1,369 bilhão. No ano passado, foi de R$ 1,236 bilhão. Uma diferença de 10,7%, segundo levantamento do gabinete do deputado Chico Vigilante (PT).

Atento à movimentação
O governador Ibaneis Rocha (MDB) acompanhou atento o julgamento no Tribunal de Contas do DF sobre a PPP para concessão do estádio Mané Garrincha. Por WhatsApp, o presidente da Terracap, Gilberto Occhi, no plenário, o mantinha informado.

Transporte público para bichos de estimação
Eleito com o discurso de defesa dos pets, o deputado Daniel Donizet (PSL) quer permitir a presença de animais domésticos no transporte público do DF. Projeto de lei do distrital estabelece que os bichos sejam de pequeno porte, com até 12kg, e sejam levados dentro de caixas apropriadas, pelo passageiro, sem tarifa extra. O distrital justifica: “A iniciativa beneficia principalmente a população de baixa renda que, muitas vezes, não tem condições financeiras de custear o transporte de seus animais para vacinação, castração e atendimentos veterinários, entre outros”.

Indicado pela OAB/DF no Conselho de Gestão
O Conselhão do GDF, criado para assessorar o governo na formulação e execução de políticas públicas, passou a contar com participação do criminalista Thiago Turbay, indicado pelo presidente da OAB-DF, Délio Lins e Silva Júnior. O Conselho Permanente de Políticas Públicas e Gestão Governamental do Distrito Federal é presidido pelo governador Ibaneis Rocha e, na ausência dele, pelo vice-governador Paco Britto. Além deles, integram o grupo o chefe da Casa Civil, Eumar Novacki, os secretários de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, André Clemente de Oliveira, de Comunicação, Weligton Moraes, e de Desenvolvimento Econômico, Ruy Coutinho, e a procuradora-geral do Distrito Federal, Ludmila Galvão. Segundo Délio Lins e Silva Júnior, a indicação de representante da OAB/DF é uma forma de fiscalização da atual gestão. O advogado não vai receber jeton.

Sem excludente de ilicitude
A comandante-geral da Polícia Militar, coronel Sheila Sampaio, excluiu ontem dos quadros da corporação um sargento condenado por disparo de arma de fogo e por dirigir sob efeito de álcool. Ele foi denunciado por tentativa de assassinato de duas pessoas durante discussão no trânsito, em Santa Maria, quando estava bêbado. O policial confirmou os tiros, mas alegou que agiu em legítima defesa. O Tribunal do Júri avaliou que ele não agiu com intenção de matar. Mas atirou de forma injustificada. “O condenado é policial militar, a quem são confiadas a segurança e a defesa da sociedade, e que deve agir com a mais absoluta responsabilidade, principalmente no emprego da força. Ao contrário, agiu de forma absolutamente reprovável, valendo-se da vantagem de ter assegurado o direito ao porte de arma de fogo, com evidente truculência, desproporcional ao momento enfrentado, colocando em risco a vida daqueles que devia proteger”, apontou o juiz Germano de Holanda na sentença.

Descobertas no Legislativo
Em estudo sobre a reforma da Previdência, o ex-governador Rodrigo Rollemberg (PSB), agora na condição de servidor da liderança do PSB no Senado, teve uma surpresa nesta semana. Descobriu, em conversa com consultor Pedro Néri, que seu pai, o ex-deputado Armando Rollemberg, foi o autor da lei que acabou com a idade mínima para aposentadoria, em 1961. Na justificativa, à época, dizia que não tinha sentido não ter idade mínima para servidores públicos e ter para os trabalhadores do regime geral. O presidente João Goulart sancionou o projeto no início de 1962. Agora, isso vai mudar. Proposta em discussão estabelece idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres.

Só papos

“Governo Bolsonaro não consegue sair das cordas. Milícia, movimentações milionárias do Queiroz, laranjal do PSL destruíram o discurso de ‘nova política contra a corrupção’. Estamos diante de um governo fraco, inepto e mitomaníaco”
Deputada Érika Kokay (PT/DF), pelo Twitter

“Eu assisto ao estrebuchar de um partido moribundo que vem perguntar por que não fazemos ao menos um terço do feito pelo presidente Lula. Não somos ladrões da pátria. Estamos aqui para salvar a pátria e não para destruir a pátria como foi feito pelo PT”
Deputada Bia Kicis (PSL/DF), em discurso na Câmara

CB. Poder
Ana Maria Campos e Helena Mader

TCDF libera licitação e governo fará PPP do Estádio Mané Garrincha
O Tribunal de Contas do Distrito Federal autorizou a retomada da licitação para a concessão do Estádio Mané Garrincha. O projeto é chamado de Arenaplex. Em sessão realizada nesta quinta-feira (14/02), os conselheiros entenderam que a Agência de Desenvolvimento de Brasília (Terracap) esclareceu a maioria dos pontos questionados pela Corte. Com isso, o governo poderá fazer a concessão do estádio, do ginásio Nilson Nelson e do parque aquático Cláudio Coutinho à iniciativa privada. O TCDF liberou a licitação mas determinou que, a cada cinco anos, a Terracap terá que atualizar o valor de outorga.
A concorrência pública para a PPP do Arenaplex foi lançada em fevereiro de 2018 e estava suspensa desde março do ano passado, por determinação do Tribunal de Contas. Depois de fazer recomendações ao GDF, a Corte manteve a paralisação da licitação em setembro de 2018. Desde então, o governo vem tentando resolver o impasse para retomar a concessão do estádio. Ao assumir o Palácio do Buriti, o governador Ibaneis Rocha estabeleceu o negócio como uma de suas prioridades. O presidente da Terracap, Gilberto Occhi, e diretores da empresa acompanharam a sessão desta quinta-feira.
Relator do processo, o conselheiro Paulo Tadeu votou pela continuidade da licitação. Para ele, a Terracap ainda não cumpriu 100% das exigências mas, diante dos altos gastos gerados pelo estádio, a liberação da PPP pode ser feita, mediante “ajustes periódicos”. “O Tribunal ficou sensibilizado pelos altos gastos de manutenção”, explicou Tadeu. “Com a PPP, o Estado poderá se liberar para investir em áreas carentes”. O governo gasta mensalmente cerca de R$ 700 mil com a manutenção da arena.
O corpo técnico do TCDF identificou seis irregularidades no edital de concessão, entre elas a “ausência de critérios objetivos para qualificação de propostas técnicas” e “irregularidades nos orçamentos apresentados pela Terracap, que referem-se aos investimentos a serem realizados pelo agente privado”. O Ministério Público de Contas também defendeu a manutenção da paralisação do certame.
O conselheiro Renato Rainha seguiu o entendimento do relator. “A pior alternativa é a situação permanecer como está”, comentou. “A opção de fazer o estádio foi péssima, pior ainda é mantê-lo nas mãos do governo”, acrescentou.
Vários conselheiros do Tribunal de Contas defenderam a realização de PPPs. “O Estado chegou a um nível de exaustão. As PPPs, desde que bem controladas e organizadas, são a melhor solução”, afirmou o conselheiro Paiva Martins.

Condições
Para participar do negócio, o consórcio vencedor vai precisar pagar uma outorga mínima de R$ 5 milhões ao ano para a Terracap. Durante o período de exploração da área, a expectativa é de R$ 387 milhões acumulados em investimentos. Ao fim dos 35 anos a operadora terá repassado R$ 150 milhões em outorga, considerando que o consórcio terá um prazo de carência de cinco anos para realização das obras. No mesmo período, o GDF deixará de gastar até R$ 370 milhões e arrecadará, em impostos, cerca de R$ 700 milhões.
O edital exige a construção de restaurantes, salas de cinema e teatro no boulevard e a manutenção de uma agenda de eventos esportivos e culturais nas arenas e os programas desportivos do Complexo Aquático Cláudio Coutinho.

 

JORNAL DE BRASÍLIA

Do Alto da Torre
Millena Lopes & Francisco Dutra

Sadio Mané
O TCDF enfim encontrou motivos paraliberar a Parceria Público-Privada (PPP) do ArenaPlex, que envolve o Estádio Mané Garrincha, o ginásio Nilson Nelson e o complexo Cláudio Coutinho. A única empresa no páreo é a RNGD Consultoria de Negócios Ltda, que deverá explorar o espaço por 35 anos e pagar cerca de R$ 5 milhões por ano ao GDF. A Terracap estima que a PPP, quando concluída, poderá movimentar até R$ 387 milhões anuais.

Bônus e prós
Ainda conforme a Terracap, a empresa pública deixará de gastar R$ 370 milhões durante a concessão e o GDF poderá arrecadar até R$ 700 milhões em impostos.

Bulevar de sonhos quebrados
O governo prevê a construção de sala de cinema, teatro, restaurantes e clínicas, compondo um bulevar – ou centro comercial, como se preferir. O consórcio vencedor da licitação também ficará responsável pela realização de eventos no estádio e no ginásio e terá a missão de reconstruir o Cláudio Coutinho. Existe a garantia de que as iniciativas no complexo aquático continuarão administradas pelo serão Buriti e voltadas à comunidade.

Vem nome aí
O governador Ibaneis Rocha (MDB) determinou a nomeação de 234 orientadores educacionais aprovados em um concurso público de 2014. As convocações deverão ser oficializadas até o final do mês, quando também serão chamados mais 54 professores aprovados em um concurso de 2016.

E mais!
Outros 234 orientadores educacionais – profissionais com a função de dar suporte pedagógico aos estudantes nas escolas – aprovados naquele exame deverão ser convocados até maio de 2019, data em que caduca o certame. O anúncio atende alguns dos pleitos da categoria e faz parte do SOS DF Educação, plano de ações da pasta que será anunciado nos próximos dias.

Primeiro a dama
A primeira-dama do DF, Mayara Noronha, seguirá a tradição das últimas ocupantes do cargo no DF e desenvolverá atividades sociais. Ontem, Mayara foi escolhida madrinha do programa DF Criança, que promoverá ações educativas voltadas à saúde bucal, nutricional, assim como atividades lúdicas e cognitivas.

Casa de ferreiro…
Outra atitude mantida pelo governo Ibaneis, essa um pouco mais recente, é não ocupar a Residência Oficial de Águas Claras. O espaço de 60 hectares, adjacente ao Parque de Águas Claras, já foi usado para visitação de escolas, exposições, e agora servirá como centro de apoio a mulheres vítimas de violência e a crianças e adolescentes. É mais um projeto que a primeira-dama deve ajudar a tocar.

Primeiro rugido
Ontem foi um dia especial para a deputada federal Celina Leão (PP, foto). Foi a primeira vez que a ex-distrital e expresidente da Câmara Legislativa assumiu o púlpito do plenário da Câmara dos Deputados para discursar. Como era de se esperar, ela relembrou seu passado político recente e ainda explicou que no DF não temos Assembleia.

Muito ainda é pouco
Depois das formalidades, porém, ela aproveitou para cutucar a deputada Joice Hasselman (PSL-SP), que já se tornou persona non grata no partido de Bolsonaro. A parlamentar paulista teria criticado o “excesso de gastos” em educação e inferido que o Brasil investe R$ 1 bilhão ao dia no setor. “Fico preocupada quando ouço que não precisamos mais investir em educação. Queria corrigir os dados da deputada Joice: isso não é verídico, gastamos R$ 307 milhões ao dia, um total por ano R$ 107 bilhões, com a correção R$ 112,2. É pouco para 54 milhões de estudantes”, rebateu com luva de pelica.

Celina do Sul
A Leoa ainda prosseguiu sobre a importância do tema e citou uma visita à Coreia. Ela não especificou, mas entende-se que foi na do Sul. “Um país devastado pela guerra, mas que levantou duas bandeiras: educação e saúde”, argumentou. A representante brasiliense ainda soltou um “as pessoas esperam mais desse parlamento” antes de encerrar sua fala.

Base aberta
Dos deputados distritais mais ativos neste começo de legislatura, os oposicionistas Leandro Grass (Rede) e Fábio Félix (PSOL) certamente se destacam. Todos os dias estão repudiando, denunciando ou protocolando alguma coisa. Ontem, contudo, Grass apenas jogou no ar algumas informações, e importantes, bom dizer. O deputado disponibilizou dados sobre Instituto Hospital de Base, com gastos por área, listagem de fornecedores, de CNPJ, data do pagamento e outros.

Interativo
O gráfico criado pelo deputado é bem simples de entender e vem com filtros específicos. Segundo os dados compilados, compreendidos entre 28 de fevereiro de 2018 e 28 de dezembro de 2018, o instituto gastou R$ 113,4 milhões com fornecedores. “O maior gasto foi com pagamento de celetistas, cerca de R$ 30 milhões ao longo do ano”, afirma o deputado, por meio de nota.

 

METRÓPOLES

Grande Angular
Lilian Tahan

Ibaneis compra avião e viaja com família para show de Ed Sheeran
O governador Ibaneis Rocha (MDB) comprou um avião executivo. O modelo é um turboélice King Air, da fabricante Beechcraft, com capacidade para 11 passageiros. Pagou pela máquina US$ 2 milhões. Em moeda brasileira: R$ 7,4 milhões.
Nesta semana, Ibaneis foi com a família em seu avião particular para São Paulo, assistir ao show de Ed Sheeran. “Não preciso nem do salário do governo, nem de carona em jatinho de amigo”, disse Ibaneis à coluna. E comentou o dia de folga: “Desde 25 de julho não parei mais, nem por um dia, nem um minuto. Estou numa batida sem descanso, trabalhando sem parar”.
Com fortuna declarada de quase R$ 100 milhões, o governador, quando eleito, abriu mão do salário de chefe do Poder Executivo.
Ibaneis não esconde de ninguém que quer voar cada vez mais alto.

Janela Indiscreta
Caio Barbieri

Governos do DF e de Goiás negociam trem de Brasília a Luziânia (GO)
O veículo leve sobre trilhos (VLT) entre Brasília e Valparaíso (GO) pode ganhar uma nova parada. Os governos do Distrito Federal e de Goiás pretendem ampliar o projeto até Luziânia (GO) – a distância entre os municípios do Entorno é de, aproximadamente, 60 km.
Em reunião no Palácio das Esmeraldas, na capital goiana, nesta quinta-feira (14/2), o secretário de Desenvolvimento da Região Metropolitana do DF, Paulo Roriz, e o secretário de Indústria, Comércio e Serviços de Goiás, Wilder Morais, solicitaram ao governo federal que a linha do VLT seja ampliada. Participaram do encontro representantes do Ministério de Desenvolvimento Regional e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).
O projeto inicial do trem prevê o aproveitamento da linha férrea já existente, que só chega até Valparaíso. “É um trecho pequeno e que, se autorizado, vai beneficiar ainda mais a população que necessita de transporte seguro e barato para fazer esse trajeto”, disse Roriz.
Pela programação original do Governo do Distrito Federal (GDF), os testes com o novo modal devem começar em março, mas sem presença de passageiros – a previsão inicial era o fim de janeiro. A ideia é aferir a segurança do trajeto até que os técnicos deem o aval para o uso coletivo.
Durante a reunião, os secretários também trataram de convênios a serem firmados entre o DF e Goiás nas áreas de indústria, saúde, educação, transporte e segurança.
A ideia é que os governadores Ibaneis Rocha (MDB) e Ronaldo Caiado (DEM) estabeleçam parcerias para que a liberação de recursos da área federal enfrentem menos burocracia para atender aos projetos compartilhados entre as duas unidades da Federação.

 

BLOG RISCOS E TENDÊNCIAS
José Maurício dos Santos

MPDFT pede cassação de distrital José Gomes por abuso de poder econômico
Na terça-feira (13), o Ministério Público Eleitoral no Distrito Federal e Territórios pediu Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a cassação do mandato do deputado distrital José Gomes (PSB) por abuso de poder econômico.

Motivo
De acordo com o MP, José Gomes utilizou a empresa Real JG para exigir o voto dos cerca de 10 mil funcionários, sob ameaça de demissão e usando argumentos como “gratidão pelo emprego”.

Suspensão dos direitos políticos
Além de perder o mandato, o parlamentar pode ficar inelegível por oito anos.

Defesa
A defesa do deputado disse que ele é inocente e que irá prová-lo à Justiça Eleitoral.

Izalci quer fiscalizar fundos regionais de desenvolvimento
O senador Izalci Lucas (PSDB-DF) apresentou nesta quina-feira (14) seu plano de trabalho para a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), que inclui exercer a ação de fiscalização na aplicação de recursos públicos em programas de desenvolvimento regional. Uma das metas é estimular o turismo interno.

Presidente
O senador Izalci Lucas (DF) foi eleito presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) na cota do PSDB.

 

BLOG DO DONNY SILVA

TCDF libera continuidade do processo licitatório para concessão do ArenaPlex
O Tribunal de Contas do Distrito Federal autorizou, na sessão desta quinta-feira, dia 14 de fevereiro, a continuidade do processo licitatório para concessão do complexo esportivo ArenaPlex, caso o novo Governo do DF tenha interesse em seguir com o projeto. Porém, a Corte impôs uma condição: o GDF deverá incluir, no contrato a ser celebrado, uma cláusula prevendo a atualização do valor da outorga a cada cinco anos após o início da vigência da concessão, considerando, especialmente, os valores recebidos pela futura concessionária a título de aluguel dos estabelecimentos do empreendimento comercial, bem como os gastos com obras e reformas. A Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) deverá enviar ao TCDF, no prazo de cinco dias, documentação que comprove o cumprimento dessa medida.
A determinação foi feita após a análise das justificativas fornecidas pela Terracap sobre três questões que ainda estavam pendentes, relativas ao edital e ao procedimento licitatório. Um desses pontos era a ausência de critérios objetivos para avaliação da admissibilidade das propostas técnicas, em afronta à Lei 8.666/1993 e ao princípio do julgamento objetivo. O segundo ponto era a ocorrência de situação análoga à quebra de sigilo das propostas, decorrente de uma exigência de informações durante a fase de habilitação das empresas interessadas. Esses dois pontos, no entendimento do Tribunal, foram superados em razão do fato de que apenas uma proposta foi apresentada.
Na Decisão nº 5668/2018, o TCDF havia solicitado esclarecimentos sobre a previsão dos valores de aluguel dos estabelecimentos da solução comercial, bem como dos valores de reforma e construção de edificações novas, o que impacta nas estimativas feitas na modelagem econômico-financeira para a outorga mínima. Isso porque a concessão do complexo ArenaPlex à iniciativa privada está aliada à inclusão de um potencial construtivo para o desenvolvimento de equipamentos de esporte, lazer e entretenimento, como restaurantes, lojas, cinema e academia. Após reuniões com o corpo técnico do Tribunal, a Terracap trouxe uma sugestão de alteração contratual com o fim de permitir a oportuna reanálise dos reais custos da contratada com os investimentos (obras e reformas) e as receitas efetivamente obtidas com os aluguéis praticados.
Ao analisar essa sugestão, o TCDF entendeu que ela seria aceitável, desde que fossem criados alguns mecanismos de controle, que foram resumidos na exigência da inclusão de cláusula de ajuste contratual a cada cinco anos. Caso a concessão seja concluída pelo GDF, o Tribunal analisará a execução do contrato em processo específico, a ser aberto.
Nova representação – No processo que analisa a licitação para concessão do complexo da ArenaPlex, o TCDF recebeu nova representação, protocolada pelo Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS), órgão consultor da Unesco. A representação questiona a constitucionalidade da Lei Complementar n.º 140/2018, que estabeleceu parâmetros de uso e ocupação do solo e autorizou a alteração do parcelamento da área da ArenaPlex, que inclui o Estádio Nacional, o ginásio Nilson Nelson e o complexo aquático Claudio Coutinho. Na decisão desta quinta-feira, o TCDF decidiu que irá autuar um processo específico para analisar essa representação.

Histórico
Desde o início da análise, o TCDF determinou a correção de diversas irregularidades no edital de licitação. Além das questões relacionadas à habilitação dos interessados e aos custos da concessão, a Corte apontou a necessidade de projeto de lei para alterar a destinação da área e de parecer do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Processo: 33986/2017
O advogado Paulo Sérgio, genro da ex-deputada distrital Eliana Pedrosa, comemorou muito ontem a decisão do Tribunal de Contas do DF.

 

BLOG RÁDIO CORREDOR
Odir Ribeiro

Ibaneis não atingiu a meta
Terminou ontem (14) o prazo estipulado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) para o funcionamento 24 horas de todas as 31 delegacias do Distrito Federal. Falta pouco, no entanto. Oito para ser mais exato.
De todas as unidades, 23 já estão funcionando o dia todo.
Em janeiro, Ibaneis disse que o funcionamento 24h de todas as unidades seria em 20 dias.
Para atingir a meta, Ibaneis Rocha assinou decreto criando condições para que policiais civis aposentados retornem voluntariamente à ativa, com funções remuneradas.
Isso tornaria “factível a reabertura das delegacias que funcionavam somente no horário diurno, para atendimento ao público, pelo período de 24 horas”, observou a Secretaria de Segurança Pública do DF.

Demorou, mas pressão funcionou
Há alguns dias, Rádio Corredor vem questionando o motivo do Tribunal de Contas do Distrito Federal ter “sentado em cima” do projeto de Parceria-Público-Privado do estádio Mané Garrincha.
A coluna Passarinho me contou, do jornalista Odir Ribeiro, cobrou, como você pode ver nesse link.
Depois de longos e inúteis seis anos após a reinauguração do Estádio Nacional Mané Garrincha, a arena será concedida à iniciativa privada.
Pelo menos essa é a expectativa. O TCDF liberou ontem (14) a conclusão da licitação para o projeto conhecido como Arenaplex. A proposta inclui o Mané, o Ginásio Nilson Nelson e o Parque Aquático Cláudio Coutinho.
Com isso, o governo pode economizar R$ 8,4 milhões por ano, e receberá uma outorga anual de R$ 5 milhões. Ou seja, recursos que podem ajudar muito na reestruturação da cidade.
A pergunta que não quer calar: porque o TCDF dorme tanto em berço esplêndido e só acorda depois que o caos foi gerado?

Segurança Pública do DF e a guerra dos salários
Enquanto a Polícia Militar cobra melhorias salariais do governo de Ibaneis Rocha, a Polícia Civil compara seus vencimentos com a PMDF para exigir reajuste salariais.
É o que representantes do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol/DF) têm espalhado em grupos de Whatsapp (imagem abaixo). Eles citam o reajuste dado a cada uma das categorias nos últimos 15 anos.
diferença salarial reajuste policiias radio corredor 170×170 – Segurança Pública do DF e a guerra dos salários
É bom citar a reclamação da PMDF também – é só clicar aqui para entender melhor. Eles querem melhorias na remuneração mensal, além de outros benefícios.
A guerra entre as instituições policiais não está restrita a competência de quem investiga ou não. Vai além disso.

Paulo Tadeu tirou a ‘pedra do caminho’
Relator do processo da Arenaplex, o ex-deputado distrital do PT e agora conselheiro do Tribunal de Contas do DF, Paulo Tadeu, votou pela continuidade da Parceria Público Privada do Mané Garrincha – veja mais aqui.
Em seu voto, Paulo Tadeu justificou o motivo da liberação, o que não deixa de ser preocupante.
“É preciso considerar os altos custos de manutenção do complexo esportivo e a probabilidade de a iniciativa privada ser mais eficiente na gestão do negócio”.
O seja, no popular, a gestão pública é incompetente.
Foram quase R$ 2 bilhões jogados fora…

 

BLOG DO SANDRO GIANELLI

Blogueiros de política do DF fazem solenidade de posse da nova diretoria da ABBP
Ocorre nesta sexta-feira (15/02), a partir das 19:30hs, no salão nobre da Câmara Legislativa do Distrito Federal, a solenidade de posse da nova diretoria executiva da Associação Brasiliense de Blogueiros de Política – ABBP.
O jornalista Toni Duarte, editor do Radar-DF, foi eleito presidente e irá comandar nos próximos dois anos a entidade representativa do jornalismo digital no DF. Além de jornalistas e blogueiros, prestigiarão o evento autoridades ligadas ao governo local, governo federal, deputados (federais e distritais) e senadores
A mais importante organização de blogueiros de política do país, a ABBP, realiza nesta sexta-feira a solenidade de posse de sua nova Diretoria Executiva e dos novos membros do Conselho Fiscal, Conselho de Ética, além do presidente do Conselho de Fundadores. Todos foram eleitos no último dia 02 de fevereiro para o biênio 2019/2021.
Desde que foi fundada em novembro de 2014, já passaram pela presidência da associação o jornalista Francisco de Paula Lima Júnior (Professor Chico, já falecido), o jornalista Fred Lima e o jornalista Sandro Gianelli. Agora é a vez do jornalista Toni Duarte, um dos fundadores da entidade, assumir o cargo.

 



Jose Mauricio dos Santos
Autor: Jose Mauricio dos Santos
Jornalista, Cientista Político e especialista em Marketing Político.

Deixe uma resposta