Backstage News DF 30/2017 – Regularização fundiária nas mãos da oposição no Congresso preocupa Rollemberg

O Backstage News é um produto diário da Tracker Consultoria que reúne os melhores colunistas de política do DF com informações dos bastidores do Poder.

CORREIO BRAZILIENSE

Eixo Capital
Ana Maria Campos

Justiça vai analisar denúncia contra Cristiano Araújo de fraude em licitação
Num momento em que ainda precisa dar explicações sobre a Operação Drácon, o deputado distrital Cristiano Araújo (PSD) tem pela frente outro embate. Está marcada para a próxima terça-feira, na sessão do Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF, o recebimento da denúncia por fraude em licitação em suposto esquema de concessão irregular de bolsas da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP). O Ministério Público imputou o crime ao deputado nove vezes. Se a ação penal for instaurada, Cristiano vai responder por ter concedido bolsas de pesquisa científica, de até R$ 4 mil, a pessoas sem qualquer qualificação para obter o benefício. De acordo com a denúncia, os bolsistas eram, em geral, jovens de boa aparência que ganhavam o dinheiro sem nem sair de casa. O suposto esquema envolvia também interesses do PTB, então presidido por Gim Argello. O relator do processo no Tribunal de Justiça do DF é o desembargador JJ Costa Carvalho.

“Portaria elaborada por barnabés”, diz presidente da Associação Médica
Não vai ser fácil para o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) lidar com a reação da classe médica pela decisão de cortar as gratificações acumuladas de titulações. O presidente da Associação Médica de Brasília, Luciano Carvalho, divulgou nota em que repudia a iniciativa. “A portaria, na nossa opinião, rasga as conquistas dos médicos, além de ser ardilosa e repleta de detalhes que mostram a má-fé”, diz o presidente. E ainda sobra indiretamente para o secretário de Saúde, Humberto Fonseca: “A portaria, no nosso entender, é um mar de burocracia elaborada por barnabés com bacharelado em medicina, mas nenhuma prática como médico de carreira”

Entre a questão de justiça e a política
A repercussão entre médicos deixou o governador Rodrigo Rollemberg preocupado, a ponto de ele cogitar voltar atrás no corte das gratificações por titulação. A recomendação de corte é de ordem jurídica. Mas, do ponto de vista político, pareceu a integrantes da equipe de Rollemberg um desgaste com médicos e servidores de saúde.

Espera pelas escutas da Drácon
A defesa da deputada Celina Leão (PPS) deverá pedir o adiamento do julgamento sobre o recebimento da denúncia da Operação Drácon, que a princípio ocorreria na sessão de 21 de março no Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF. A equipe de advogados estuda pedir a suspensão da data até que a perícia das gravações realizadas por escuta ambiental em gabinetes da Câmara Legislativa seja concluída e anexada aos autos. Esse trabalho não tem data para ser concluído. São 720 horas de gravações.

Comemorações em tempo de crise
Enquanto prepara a sua defesa, a deputada Celina Leão (PPS) celebra a vida. Uma festa na casa da família reuniria ontem amigos e deputados distritais para comemorar o aniversário da distrital. “É apenas um culto”, diz a deputada. A comemoração ontem foi no gabinete, com um bolo de chocolate decorado com um campo de futevôlei, esporte que Celina pratica.

Licitação da TV Legislativa é cancelada
A Câmara Legislativa anulou ontem a licitação realizada em 2013 para gestão da TV Legislativa. A LBV havia vencido a concorrência pública, promovida na gestão do petista Wasny de Roure. A intenção do presidente da Casa, Joe Valle (PDT), é transformar a nova administradora do canal de TV numa escola para formação de profissionais na área de comunicação. Um convênio tem sido negociado com a Universidade de Brasília (UnB).

Liberação total
O presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), esteve nesta semana com o vice-presidente do Tribunal de Justiça do DF, Humberto Ulhôa, para pedir a liberação das 720 horas de gravações das escutas ambientais da Operação Drácon.

Alcoforado: limitar os salários ao teto é questão de moralidade
O advogado Luis Carlos Alcoforado foi o entrevistado do programa CB.Poder que foi ao ar ontem, transmitido pela TV Brasília. Autor de ações civis que contestam a qualidade dos serviços de telefonia, energia e de abastecimento de água prestados ao consumidor, Alcoforado também comentou a decisão do governador Rodrigo Rollemberg de aprovar projeto de lei para cortar os supersalários nas empresas públicas. Ele entende que não há necessidade de uma lei específica para limitar os contracheques ao teto constitucional. “É uma questão de moralidade”, afirma. A íntegra da entrevista está disponível no blog CB.Poder (Blogs.correiobraziliense.com.br/cbpoder).

CB. Poder
Ana Maria Campos e Helena Mader

Policial que ajudou Celina é exonerado do Ministério da Defesa
Está publicada na edição de hoje (08/03) a exoneração do agente da Polícia Civil do DF Marcello de Oliveira Lopes do cargo de chefe de gabinete do Instituto Pandiá Calogeras do Ministério da Defesa.
A exoneração ocorreu a pedido depois de reportagens do Correio sobre o incômodo de integrantes das Forças Armadas com o envolvimento de Marcello em investigações conduzidas pela deputada Celina Leão (PPS) contra o governador Rodrigo Rollemberg (PSB).
O agente Welber Lins de Albuquerque, que também acompanhou o depoimento do hacker Jefferson Rodrigues Filho, colocou o cargo à disposição, segundo relato de Celina. Ele ocupa função comissionado na área de controle interno.
Os dois agentes deram assistência a Celina no depoimento de Jefferson, o homem que clonou o celular de Rollemberg. O caso foi revelado pela divulgação de escutas ambientais da Operação Drácon no gabinete de Celina Leão.
A Corregedoria da Polícia Civil abriu um procedimento para apurar as circunstâncias da participação dos agentes no depoimento informal.
A deputada estava sob investigação pela Delegacia de Combate aos Crimes contra a Administração Pública (Decap) e pelo Ministério Público do DF, por corrupção, na Operação Drácon.
Em entrevista publicada hoje (08/03), Celina diz que Marcello comunicou ao diretor-geral da Polícia Civil, Eric Seba, sobre a assistência a ela.
Celina também afirmou que não partiu dela a indicação dos policiais para o Ministério da Defesa.

Celina: “Rollemberg quer disputar no submundo”
Escuta ambiental que gravou durante 240 horas os bastidores do gabinete da deputada Celina Leão (PPS) revelou a estratégia montada por ela depois da busca e apreensão da Operação Drácon. Nos dias que se seguiram ao escândalo, Celina reuniu testemunhas com denúncias contra adversários. Nesse caso, a distrital contou com a ajuda do delegado Flamarion Vidal e dos agentes Marcello Oiveira Lopes e Welber Lins de Albuquerque, integrantes da Polícia Civil do DF.
Em entrevista ao Correio, Celina saiu em defesa dos policiais civis. Ela disse que eles apenas a orientaram no momento em que colhia o depoimento do hacker Jefferson Rodrigues Filho, que clonou o telefone do governador Rodrigo Rollemberg. E garante que um deles, Marcello Oliveira, comunicou ao diretor-geral da Polícia Civil, Eric Seba, que se reuniria com Celina.
A deputada acabara de ser afastada da Presidência da Câmara, por decisão judicial, na Drácon. Na ocasião, fim de agosto de 2016, Marcello e Welber estavam cedidos para cargos de confiança no Ministério da Defesa, onde ainda estão lotados. “O Eric tinha pleno conhecimento de que a gente iria atender o Jefferson. Nada foi escondido”, afirma Celina.
A deputada atribui ao governador Rodrigo Rollemberg toda a trama que a levou a responder a uma ação judicial por corrupção passiva, proposta pelo Ministério Público do DF com base em gravações realizadas pela deputada Liliane Roriz (PTB). O motivo seria a oposição ao governo do DF.
Em uma das conversas gravadas, Celina ataca Rollemberg. Diz que o atual governo é pior que o anterior. Na entrevista ao Correio, ela explica o que pensa: “Agnelo disputava comigo na política. Rollemberg quer disputar no submundo”.

As escutas ambientais da Operação Drácon indicam que você se reuniu com algumas pessoas que tinham munição contra seus adversários, como o deputado Chico Vigilante e o governador Rodrigo Rollemberg. O que, de fato, aconteceu ali?
Sou adversária e não inimiga do deputado Chico Vigilante desde meu primeiro mandato. E quem foi muito oportunista com a questão da Drácon foi o Chico Vigilante. No auge da Drácon, ele faz uma acusação que já está nos autos como mentirosa, sobre uma possível obstrução da justiça de um assessor meu. Sou uma deputada de oposição e recebo denúncias diariamente.

A ex-assessora do deputado Chico Vigilante procurou você?
Ela procurou a minha assessora de imprensa e disse que teria fatos relevantes para relatar. Eu a recebi e até pedi que a Daise (assessora de imprensa) fizesse um registro no cartório dos WhatsApps que ela enviou. Ela faz acusações gravíssimas contra o deputado Chico Vigilante e realmente passou do nível da política. Por isso, fiz questão de registrar em boletim de ocorrência na Polícia Legislativa da Câmara. Também pedi que fosse comunicado ao deputado Chico Vigilante. Isso quebra a versão dele de que fiz um dossiê contra ele.

Como foi a abordagem ao Jefferson Rodrigues Filho, que clonou o celular do governador Rodrigo Rollemberg? Segundo as gravações, ele esteve em seu gabinete…
Ele me procurou para fazer denúncias contra o governador. É absolutamente normal. Faz parte do meu mandato como deputada. Essas duas pessoas que recebi mostram que tanto o deputado Chico Vigilante quanto o governador Rodrigo Rollemberg têm muito a explicar. Essa história do Jefferson não se encaixa. Como o governador manteve no governo alguém que fez o que fez? Ele ficou no governo por um tempo mesmo depois de a clonagem ser descoberta. Nós achamos até que era uma trama do governo. Por isso, pedi orientação. Se ele me achacasse, a Polícia daria voz de prisão.

Em uma das conversas, você diz ao Jefferson que sairia uma bomba contra o governo. Que havia uma bomba e isso seria apenas o recheio. O que quis dizer?
Há muitas bombas. Você imagina: um governo que não teve coragem de estancar um processo de corrupção como existe na Secretaria de Transportes. Acha que isso não vai estourar na cabeça do Rollemberg?

Poderia explicar como foi essa conversa com o delegado Flamarion Vidal que levou à indicação de um agente da Polícia Civil para acompanhar o depoimento do hacker do celular de Rollemberg em seu gabinete?
Isso é muito importante esclarecer. O Eric Sebba foi avisado pelo Marcello (Marcello de Oliveira Lopes). O Marcello é uma pessoa que conheço da minha igreja. É um agente da Polícia Civil. Eu conversei com ele sobre a história de que tinha sido procurada pelo Jefferson, mas disse que tinha medo de ser uma armação política. Ele me disse: “Se você quiser, a gente faz um acompanhamento e dá voz de prisão se for preciso”. Só que o Marcello foi supercorreto e comunicou ao Eric. O Eric tinha pleno conhecimento de que a gente iria atender ao Jefferson. Nada foi escondido.

Como Marcello Lopes comunicou o diretor-geral da Polícia Civil?
Por WhatsApp. Ele tem as mensagens. Eles se relacionam bem. Foi até engraçado. O governo quis vitimizar uma situação que não era para isso porque, querendo ou não, eu poderia ter comunicado em plenário que recebi o Jefferson. Mas essa não foi a minha postura. Eu encaminhei à Polícia Federal e ao Ministério Público do DF.

Eric Seba autorizou?
Não sei se autorizou, mas ele tinha pleno conhecimento. E trocou várias mensagens com o Marcello. Se a Corregedoria vai investigar os policiais, tem que investigar o diretor-geral também. O governo está se vitimizando para não dar explicações sobre essa situação. Ele deixa o governo muito constrangido. Imagina… Um estelionatário fazendo denúncias em meu gabinete contra o governador.

Quem estava no seu gabinete? Os agentes Marcello Oliveira e Welber Lins de Albuquerque?
Sim. Os dois. A nossa preocupação era que houvesse uma extorsão e eles dariam voz de prisão. Eles estavam lá para isso porque sou uma deputada e não uma delegada. No dia seguinte ou no mesmo dia, o Marcello chegou a colocar que o Eric queria me encontrar, sabia que eu estava limpa.

Limpa de quê? Da Drácon?
Sim, da Drácon. Eu disse que não tinha interesse nenhum de me encontrar com o Eric. Achava até feio. Ele é o diretor-geral. Eu me lembro como se fosse hoje. Se não foram editadas as gravações, isso está lá.

Por que pediram ajuda especificamente ao Flamarion, delegado da 4ª DP, do Guará?
Porque é muito complicado um delegado ter a coragem de fazer o que é certo.

Você já conhecia o Flamarion?
Não. Quem o conhece é o Marcello.

Mas temos uma ocorrência que você registrou em Santa Maria, quando Flamarion era delegado-chefe lá, com denúncia contra um jornalista. Por que em Santa Maria?
Essa denúncia ocorreu porque eu estava numa associação que faz trabalhos sociais em Santa Maria e como é uma denúncia de internet eu poderia fazer em qualquer lugar. E essa eu registrei em Santa Maria porque eu estava lá. Absolutamente normal. Mas a minha relação com o Flamarion se deu por causa do Marcello. Porque eles são amigos.

O fato de Marcello ter sido nomeado para um cargo no Ministério da Defesa, comandado por Raul Jungmann, do seu partido, tem algo a ver com você?
Isso é a maior injustiça, ter saído esse tipo de matéria. Quando eles estiveram no meu gabinete, eles já estavam no Ministério da Defesa. A escolha do Marcello e do Welber se deu porque são superpreparados, com vários elogios na folha funcional. Não foi indicação minha, até porque nunca estive com o ministro Jungmann.

Sobre a frase do Cristiano Araújo: “Vamos ser sinceros. Aqui não tem nenhum virgem”, pegou mal?
Acho que essa foi uma declaração que a pessoa faz na intimidade, que tinha algo a ser emendado. Mas é muito ruim para o parlamento como um todo, porque vivemos um momento muito ruim na classe política. Ainda assim, não vejo como uma afirmação para tentar colocar como se fossem todos os deputados imorais. Foi mais um desabafo no sentido da política mesmo.

Receber informações com temas pessoais, ainda que acompanhada e após comunicar a polícia, não é uma atitude fora dos padrões?
Concordo com você. Acho que é totalmente fora dos padrões. Tanto que não fiz o registro da Gisele (assessora de Vigilante) na Polícia Civil. Havia o medo de um vazamento sobre as informações que ela trouxe.

Nas gravações ambientais, você diz que Rollemberg é pior do que Agnelo, de quem você foi adversária. Pensa mesmo isso?
Quando falo que o governador é pior que o Agnelo, é porque o Agnelo, que tinha muita história de corrupção no governo, que tinha muita coisa errada, disputava comigo na política. O Rodrigo quer disputar comigo no submundo. Entendeu?! Ele é quem monta dossiê, usa as instituições…

GDF não descarta redução de tarifas públicas após corte de supersalários
Nesta terça-feira (07/03), o secretário-chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, deu detalhes sobre o projeto de emenda à Lei Orgânica que permitirá a extinção dos supersalários. Ele reconheceu que a medida deve parar na Justiça, já que sindicatos vão tentar barrar o corte salarial. Segundo ele, os recursos economizados não irão para os cofres do governo, mas representarão uma economia para as empresas públicas, que posteriormente poderão investir esses valores.
Sampaio não descarta cortes nas tarifas, mas diz que é cedo para falar sobre redução de preços, já que o governo ainda não sabe nem sequer qual será a economia para cada empresa pública. “Esse assunto poderá ser discutido pelos conselhos de administração dessas empresas. Isso pode dar margem para onerar menos a socidade”, explicou Sérgio Sampaio. Sobre a promessa de servidores recorrer à Justiça contra a proposta de emenda à Lei Orgânica, Sérgio Sampaio disse que “no Estado democrático de direito, todos podem buscar a Justiça, que dará a palavra final”. Mas ele defendeu o fim dos supersalários. “Não é razoável que haja essas disparidades salariais em um momento de crise”.

Servidores vão à Justiça para tentar derrubar proposta que acaba com supersalários
Se o projeto que estabelece um teto para os salários dos servidores das empresas estatais do GDF for aprovado pela Câmara Legislativa, funcionários da administração indireta prometem ir à Justiça para tentar derrubar essa emenda à Lei Orgânica. Sindicatos já se organizam contra a proposta e, na tarde desta terça-feira (07/03), prometem pressionar os deputados distritais para que não aprovem o projeto.
O governador Rodrigo Rollemberg vai enviar hoje à Câmara Legislativa o texto da proposta de emenda à Lei Orgânica, que determina a aplicação do teto constitucional a todos os servidores da administração direta e indireta do GDF. Isso vai representar o fim dos supersalários de funcionários de empresas como a Caesb, a CEB, o BRB e a Terracap. Essas companhias hoje podem pagar remunerações superiores ao limite legal válido para o DF, que é o salário de um desembargador do TJDFT (R$ 30.471,11).

Servidores questionam legalidade
Os funcionários dessas empresas e os sindicatos argumentam que os servidores da administração indireta têm regime jurídico diferenciado e, por isso, não podem ter as mesmas prerrogativas do funcionalismo público da administração direta. O diretor do Sindicato dos Servidores da Caesb (Sindágua) Henrique Mendonça de Faria diz que a entidade vai à Justiça, caso a proposta seja aprovada.
“Vamos questionar a constitucionalidade dessa proposta que, para a gente, não passa de uma tentativa do governador de melhorar a própria imagem. Os salários das estatais são regulamentados por lei e obedecem a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho)”, diz Henrique. “Pode até ser um discurso bonito, mas não é válido aplicar algo da administração direta para as estatais, o regime é diferente, essa medida não tem amparo legal”, acrescenta.

 

JORNAL DE BRASÍLIA

Do Alto da Torre
Millena Lopes & Francisco Dutra

Polarização supersalarial
Dois parlamentares personificam lados opostos do debate sobre os supersalários na Câmara. O líder do governo, deputado Rodrigo Delmasso (Podemos), defende o projeto de teto apresentado pelo Palácio do Buriti. Já o líder do PT, Ricardo Vale (PT), não vê a proposta com bons olhos. Para vingar, texto deve tramitar nas comissões da Casa e ter os votos de 16 dos 24 distritais.

Pelo teto
“A base é favorável. É preciso separar o que é direito de remuneração fixa. A redação não pode tirar os direitos. Para mim, se o empregado incorporou e está acima do teto, não sendo aposentado, tem que ter o corte”, argumenta Delmasso. O parlamentar só acha que o limite não deve ser estabelecido para o BRB. “Por que? Porque ele compete com o mercado. Diferente de outras estatais, o BRB não tem o monopólio da atividade”, explica.

Contra o teto
“Tem que ver o lado legal, como os sindicatos têm colocado. O que rege o regime dessas empresas é a CLT.Falamos de direitos adquiridos. Já dá para prever uma série de ações de servidores. É capaz dessa discussão parar em lugar nenhum. Qual é o impacto desses supersalários? Olha, me parece mais um trabalho de marketing do governo”, defende Ricardo Vale.

Posição do presidente da Câmara
A princípio, o presidente da Câmara, Joe Valle (PDT), é favorável à discussão e ao freio aos supersalários. “Há que se adequar dentro do contexto que nós vivemos de crise a questão desses salários fora das faixas humanamente aceitáveis. Logicamente, nós não podemos achar que vamos encontrar bons executivos pagando quase nada”, pondera Joe. “Legal tem haver com lei. Lei é legislativo. Nós estamos na Câmara Legislativa para mudar as leis que forem necessárias, para que a gente ajuste à necessidade e ao atendimento da população”, completa.

Pipiripau
A visita à barragem de Pipiripau, na última segunda-feira, não sai da cabeça do senador Cristovam Buarque (PPS). O sistema de abastecimento de Sobradinho e Planaltina foi construído durante o governo de Buarque, com o objetivo de garantir água para as comunidades até 2030. Cristovam lembra que em 1998 o racionamento não era um horizonte, a não ser as localidades beneficiadas pelo Pipiripau. Hoje, a situação se inverteu: Brasília sofre a pior crise hídrica da história em quase todas as regiões. As únicas que estão fora são, exatamente, as abastecidas pelo Pipiripau. Para o parlamentar, esse é um exemplo de que planejamento a longo prazo é a solução para vários problemas que estão por vir.

Pela íntegra dos áudios da Drácon
A Mesa Diretora da Câmara solicita para o Tribunal de Justiça a divulgação completa dos áudios colhidos pela Operação Drácon na Casa. O pedido é do presidente da Casa, Joe Valle.

 

JORNAL ALÔ BRASÍLIA

Entorno
Sandro Gianelli

Moradores da região do Entorno sofrem com aumento nas passagens de ônibus
No dia 18 de janeiro, a Coluna Entorno destacou a possibilidade de um novo aumento nas passagens de ônibus do transporte público que liga os municípios do Entorno ao Distrito Federal. Fizemos o alerta para que os novos prefeitos se mobilizassem em busca de melhorias para o transporte e evitassem o aumento. Alertamos sobre a necessidade de um diálogo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Pelo visto o apelo foi em vão. A realidade é que falta articulação política para solucionar este problema. O novo aumento foi de 4,8%.

Perguntar não ofende
Alô classe política do Entorno (prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, presidentes de partidos), quando é que haverá a união suprapartidária em busca de resolver o problema do transporte público na região?

Sucatas
O maior problema dos usuários do transporte público na região não é o aumento das passagens. A população sofre com ônibus sucateados, falta de ônibus e atraso.

Na contramão
Apesar do caos encontrado no transporte público do Entorno, em Novo Gama os usuários de ônibus receberam um reforço na frota. Foram 50 novos ônibus da empresa Taguatur com rampas de acessibilidade ao cadeirante, alerta vocal e câmeras de segurança interna monitoradas 24 horas.

Nepotismo
O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Planaltina-GO (Sindiplag) solicitou que o Ministério Público reincida o contrato de dois advogados nomeados na Prefeitura de Planaltina. O Sindicato argumento que um se enquadra no ‘Princípio da Moralidade’ e o outro caso é considerado ‘Nepotismo’.

Confusão
A briga entre o Sindiplag e a prefeitura de Planaltina-GO parece não ter fim. No calor das reivindicações houve até prisão do vice-presidente do Sindicato, professor Humberto, que acusa o prefeito Dr. Davi (PROS) de ter tentado comprá-lo oferecendo um cargo.

Calamidade Financeira
Dr. Davi reconhece que os servidores públicos municipais merecem um salário melhor, mas afirma que todo o recurso arrecadado pela prefeitura custeia o pagamento do funcionalismo público e que mesmo assim não é o suficiente. O que fez com que o prefeito decretasse ‘Estado de Calamidade Financeira e Pública’.

Manifestações
Para o prefeito as manifestações são justas. Dr. Davi se colocou à disposição para negociar com a categoria, mas solicita ao Sindiplag que mantenha o diálogo e entenda o momento financeiro que a prefeitura esta passando.

Entorno representado 1
O prefeito de Águas Lindas, Hildo do Candango (PSDB), foi eleito diretor do Consórcio Público de Manejo dos Resíduos Sólidos e das Águas Pluviais da Região Integrada do Distrito Federal e Goiás (Corsap). Um dos objetivos do Corsap é a construção do plano de resíduos sólidos e de drenagem da região.

Entorno representado 2
O prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoró (PSDB), foi eleito para a diretoria executiva da Associação Goiana de Municípios (AGM). Pábio assume o cargo de Diretor Administrativo e passa a ser o representante da região do
Entorno na AGM.

Comissionado
Trabalho extra é a palavra de ordem na prefeitura de Planaltina. Falta recurso para tudo.

Retomada
A obra da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Centro de Santo Antônio foi retomada.

Dividas
A nova gestão da prefeita de Abadiânia terá que administrar uma dívida superior a 2 milhões de reais.

PEC 65/15
O Senador Ronaldo Caiado (DEM/GO), quer transferir a responsabilidade pelo transporte público do Entorno para o governo federal.

 

BLOG RISCOS E TENDÊNCIAS
José Maurício dos Santos

Artilharia pesada
Rollemberg não enfrenta oposição apenas na Câmara Legislativa, mas na bancada federal. Após o senador Cristovam Buarque (PPS) anunciar oposição ao governo Rollemberg, PSDB, PMDB e DEM trabalham para enfraquecer o governador. O deputado Izalci Lucas (PSDB-DF) foi eleito presidente da Comissão Mista sobre a Medida Provisória nº 759/17, que trata da Regularização fundiária de imóveis rurais e urbanos.

Izalci 2×0 Rollemberg
Foi a segunda investida de Izalci contra os planos de Rollemberg. A primeira foi a reunião em sua casa com grande parte da bancada do Distrito Federal para a criação de um comitê anticrise. O líder da bancada do DF no Congresso não dorme no ponto de olho em 2018.

Limitação
A MP pode gerar uma Lei Federal a qual Rollemberg terá que se submeter e interromper as suas polêmicas derrubadas como faz ao seu bel prazer.

Dos males, o menor
A MP também pode trazer pontos positivos para o governo do DF caso acelere a regularização de áreas ainda irregulares na Capital. Mas, por via das dúvidas, o governador já está acelerando o processo de regularização dos condomínios na região do Jardim Botânico de olho no seu eleitorado para 2018.

Militares
Rollemberg viu ainda seu adversário, deputado Alberto Fraga (DEM) ir para a vice-presidência da Comissão Mista sobre a Medida Provisória nº 760/17, que trata da progressão profissional de PMs e Bombeiros do Distrito Federal.

E o PT?
A deputada federal, Érika Kokay (PT-DF) será a relatora da MP 760 na comissão mista, o que pode credenciá-la a ser a relatora geral do projeto. Os embates entre pontos de vistas antagônicos entre ela e Fraga é uma esperança para Rollemberg não ser alvo maior do discurso da bancada do DF na comissão.

Xadrez
Na política, assim como no xadrez, antes de fazer um movimento, um bom jogador analisa possíveis cenários que aquela jogada poderá gerar no tabuleiro num futuro próximo. E assim como o PMDB viu potenciais candidatos ao Buriti em 2018 assumindo papeis importantes em projetos que impactam o governo de Brasília na Câmara, já prevê, no Senado, uma estratégia para pelo menos tirar Rollemberg da zona de conforto. O partido de Tadeu Filippelli já tem planos para dar a relatoria da Medida Provisória nº 759/17, que trata da Regularização fundiária de imóveis rurais e urbanos, para o senador Hélio José (PMDB-DF), quandoa mesma chega na Casa.

 

BLOG DO RICARDO CALLADO

Vale até o chuveiro da oposição
O racionamento de água em Brasilia, promovido pela Caesb, promete atrapalhar a vida dos políticos, segundo Pedro Carvalho, do Radar OnLine. Às terças-feiras a Asa Norte ficará sem água, nas quintas será a vez da Asa Sul. Os apartamentos funcionais da Câmara se encontram nos dois bairros, já os senadores estão só na Asa Sul. Daí a piada. Para evitar o mau cheiro no parlamento, dizem que vai ter excelência cruzando a cidade para tomar banho no apartamento de colega. Na necessidade, vale até o chuveiro da oposição.

Eleições do Sinpol
Cinco mil oitocentos e oitenta e três policiais civis filiados devem eleger nesta terça (7), a Diretoria Executiva e Conselho Fiscal do Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) para o triênio 2017-2020. A votação teve início às 8h e se estenderá até 17h, com seis chapas disputando o pleito para a Diretoria Executiva e duas para o Conselho Fiscal. Pela primeira vez, a votação ocorrerá de forma independente.

Parceria com o TRE
Para viabilizar o pleito, o Sindicato firmou uma parceria com o TRE, que disponibilizou o uso de 25 urnas eletrônicas e seis de lona. Os equipamentos foram distribuídos em 19 seções eleitorais – em seis delas, para votação em trânsito. O resultado da votação será apurado também nesta terça (7). A divulgação do resultado será publicada no site do Sinpol-DF.

Segundo turno no dia 21
Para que a chapa seja eleita no primeiro turno, é necessário que ele consiga 50% dos votos válidos mais 1 voto. Caso nenhuma alcance esse número, o segundo turno ocorrerá no dia 21 de março.

Fraude em título de eleitor
O TRE-DF condenou por unanimidade um eleitor a 1 ano e 5 dias de reclusão, em regime aberto, por ter criado dois cadastros eleitorais com base em dados forjados. O eleitor mudou a data de nascimento e usou um outro nome para conseguir um segundo título. Como a pena é inferior a três anos, foi convertida em restrição de direito, cabendo pagamento de multa ou prestação de serviços comunitários.

Empréstimo bancário
A fraude foi descoberta pelo sistema de biometria, que cadastra a impressão digital. Ao conferir os dados, foi visto que a mesma digital era ligada a dois títulos eleitorais diferentes. No processo, o eleitor afirmou que agiu assim com o objetivo de conseguir um novo empréstimo bancário, e não para burlar o sistema eleitoral. O argumento, no entanto, não foi acolhido pelos desembargadores eleitorais, que mantiveram a sentença já proferida em primeira instância.

ENQUANTO ISSO…
# O governador Rodrigo Rollemberg entrega quatro escrituras para entidades religiosas e de assistência social na noite de hoje.

# Serão contempladas três igrejas evangélicas em Samambaia – Assembleia de Deus da QS 403 e da QN514 e Evangélica Missão – e o templo Batista Liberdade em Taguatinga.

# Quarenta e sete entidades já receberam os documentos de titularidade dos imóveis. Ao todo, são 162 processos de regularização de territórios de instituições religiosas e de assistência social.

# Estão sendo regularizadas as ocupações realizadas até 31 de dezembro de 2006 e que até hoje permanecem no local.

# A legalização ocorre com a assinatura do contrato de concessão do direito real de uso ou por meio da compra.

# Julgamento da Operação Drácon ficou para a segunda quinzena de março. Provavelmente só acontecerá depois do dia 20. É tempo para que aconteça um freio de arrumação e reviravoltas.

# Desembargadores do Tribunal de Justiça se dizem incomodados com as pressões que vem sofrendo através de vazamentos seletivos.

# O governador Rollemberg participou, na manhã de hoje, do plantio de mudas de árvores nativas do Cerrado, nas proximidades do Tribunal Superior do Trabalho (TST), no Parque Bosque dos Tribunais.

# Entre as plantas também havia mudas de árvores como ipês e jacarandás-mimosos.

 

BLOG POLÍTICA DISTRITAL
Kleber Karpov

Rollemberg dá uma de morto para pagar defunto, supersalários e revogar direitos adquiridos, com Portarias
Parece piada o que se tornou a condução política do DF, dado a hipocrisia que reina no Executivo, sobretudo por parte da gestão do governo do socialista, Rodrigo Rollemberg (PSB). Na última semana ganhou publicidade, por meio de blogs, os supersalários praticados Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (CAESB), estatal sob gestão de Maurício Luduvice, primo de Rollemberg.
Após o episódio de CAESB, descobriu-se que a prática impera é comum na Agência de Desenvolvimento do DF (TERRACAP), Companhia Energética de Brasília (CEB), Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (NOVACAP), e não deve surpreender se a mesma prática acontecer em outras estatais e conselhos gestores.
A julgar que Rollemberg recebeu, segundo a própria equipe de governo, uma herança maldita de 3, 4, 5 bilhões é justo supor que a equipe econômica e o próprio chefe do Executivo tinha conhecimento de tais práticas.
Nesse momento o governo anuncia um projeto do Executivo para estabelecer que o teto constitucional seja regra, também, para as estatais. Algo desnecessário, a julgar que a própria Constituição Federal, estabelece os limites de proventos do teto constitucional. O que leva a crer que, ao fazer o juramento durante a posse do Governo do Distrito Federal, Rollemberg jurou respeitar as Leis que regem esse país, portanto, parece no mínimo, há uma incompetência na gestão, ou o senhor governador agiu de má fé.
Mais que isso, a sensação que fica à população do DF é que a iniciativa de mandar um projeto ao Legislativo para colocar limites aos supersalários, nada mais é que uma vacina para tentar não ficar com uma imagem mais negativa perante a opinião pública.
Por outro lado, ao mesmo tempo em que se assiste o governador, à frente do Executivo por mais de 24 meses, apenas nesse momento, mesmo com toda crise, tomar alguma medida para conter os supersalários, o funcionalismo tenta reagir ao massacre do governo perante os servidores da Saúde.
Por meio de Portaria, o secretário de Estado de Saúde do DF (SES-DF), diga-se de passagem advogado e consultor legislativo, estabelece a revisão de gratificações, a exemplo da Titulação (GTIT), prevista em Lei.
Mais grave que isso, o próprio Governador do DF tenta revogar, na Justiça, a concessão de auxílio-alimentação prevista na Lei Complementar 840/2011. Algo patético, a julgar que Rollemberg , com a carreira política construída no Legislativo, no mínimo deve saber, conforme lembrou, recentemente, a deputada distrital, Celina Leão (PPS): “Uma Lei Complementar só pode ser revogada com aprovação do Legislativo”, nesse caso pela Câmara Legislativa do DF (CLDF).
Enquanto isso a população e os servidores são iludidos que pareceres da Procuradoria-Geral do DF (PGDF) por ter dado parecer favorável as revisões ou revogações, que tais pareceres tem força de Lei, o que, segundo especialistas do direito, não existe a menor procedência, salvo dentro da própria instituição, às procuradorias gerais nas unidades federativas.
O paradoxo é que enquanto o governo nomeia, acompanha e permite um grupo seleto de pessoas ganhar supersalários, e se inclue a lista, parentes, doadores de campanha e amigos, do outro, imputa a uma camada sensível, o funcionalismo público do DF, em especial, da Saúde assistem o dissecar das capacidades econômicas, físicas e psicológicas. Vossa senhoria e os que o seguem que aguardem pois 18, vem depois de 17.

Associação Médica do DF se manifesta contra Portaria que revisa gratificações de servidores
A Associação Médica do DF (AMBr), publicou nota, nesta terça-feira (7/Mar), contra a Portaria 94/2017, publicada no Diário Oficial do DF, pelo secretário de Estado de Saúde do DF (SES-DF), Humberto Lucena Pereira da Fonseca. Por meio da portaria, a SES-DF muda as regras para a concessão da Gratificação de Titulação dos profissionais de saúde, o que a ABMr classifica de criação de “embaraços burocráticos para apresentação de novas Titularidades”.
Confira a nota:

Em defesa dos médicos do DF
A Associação Médica de Brasília (AMBr) ficou surpresa, estranhou e vem por meio desta nota mostrar toda a sua indignação contra a Portaria 94, elaborada no dia 24 de fevereiro de 2017, portanto à véspera do Carnaval, que retira da folha de pagamento dos profissionais da saúde uma série de Gratificações de Titulação garantidas por Lei e cria diversos embaraços burocráticos para apresentação de novas Titularidades.
A portaria, na nossa opinião, rasga as conquistas dos médicos, além de ser ardilosa e repleta de detalhes que mostram a má fé – são 16 artigos, todos com o mesmo objetivo – em relação aos ganhos profissionais tais como as Titulações por Residência Médica, Doutorado, Mestrado, Especialização Lato Sensu, Cursos de Aprimoramento e outras.
Segundo o parágrafo 2 do artigo 6º, por exemplo, “os títulos de graduação, pós-graduação, residência médica, mestrado e doutorado só serão aceitos se expedidos por Instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação ou revalidados caso expedidos por universidades estrangeiras”.
O artigo 4º da portaria proposta pelo secretário de Saúde do Distrito Federal, Humberto Lucena Pereira da Fonseca é cruel ao afirmar que: “a Gratificação de Titulação fica limitada a 30% do vencimento básico correspondente ao Padrão de Classe em que o servidor estiver posicionado”. O parágrafo 1o completa a maldade: “o servidor não perceberá cumulativamente o percentual referente a títulos distintos que sejam da mesma natureza, salvo na hipótese do inciso 2”.
A portaria, no nosso entender, é um mar de burocracia elaborada por barnabés com Bacharelado em Medicina, mas nenhuma prática como médico de carreira. Vamos dizer NÃO a esta portaria que nos atinge profissionalmente.
Luciano Carvalho
Presidente da AMBr

 

BLOG DO DONNY SILVA

Situação delicada
A situação da deputada distrital Sandra Faraj, irmã do Apóstolo Fadi Faraj, é realmente bastante delicada. Investigações avançam e a parlamentar não terá o apoio dos colegas da CLDF para livrá-la da cassação. Também não pode contar com o apoio do Buriti, a quem traiu recentemente. O melhor remédio é a renúncia, antes que a Igreja Ministério da Fé seja crucificada pelos pecados de Sandra. Afinal de contas, a grave crise já atinge a igreja de Fadi e está só no começo.

Diabrura de Sandra Faraj?
A deputada Sandra Faraj (SD) registrou queixa de ameaça contra o empresário Filipe Nogueira e sua esposa Michelly no dia 10 de fevereiro de 2017. A parlamentar alegou ter sido ameaçada pelo casal por causa da exoneração de Filipe.
Mas causa enorme estranheza e até perplexidade a conduta da distrital, porque afinal de contas, Filipe é vidente ou profeta, porque como ele poderia ter feito isso se só foi exonerado no dia 13 de fevereiro? Não seria caso de falsa comunicação de crime praticado pela parlamentar?
Após ouvir Filipe, até o delegado da 5ª DP ficou surpreso com a audácia da deputada. O caso é investigado.

Sandra e a CLDF ignoram as exigências do Ato 31 da CLDF que regulamenta a utilização da verba indenizatória
Joe Valle era deputado distrital na legislatura passada. Também ocupava o cargo de Terceiro Secretário da Câmara Legislativa do Distrito Federal, e assinou o Ato da Mesa Diretora de número 31, de 2012, que regulamenta a aplicação da Verba Indenizatória do Exercício Parlamentar, vigente até o presente momento.
Não há nada de errado com o Ato 31. O que não é feito, é a obrigatoriedade da exigência do setor que cuida da verba indenizatória, de não cumprir o Artigo 8º Parágrafo 4º, que assim diz: comprovante de depósito ou de pagamento bancário, segundo a natureza da operação, emitido dentro de sua validade, acompanhado da fatura ou do boleto de pagamento.
Por falta da tal exigência, a deputada Sandra Faraj (SD) foi indenizada pela CLDF sem cumprir os requisitos acima. É vedado aos deputados distritais pela Resolução, o pagamento em dinheiro a qualquer pessoa jurídica. Equivocadamente, alguns veículos de comunicação ontem afirmaram que tal pagamento poderia ser feito em espécie.
Por esse motivo, os demais integrantes da nova Mesa Diretora da CLDF, deram um prazo de 72 horas para que Sandra Faraj apresente os comprovantes de depósito ou de pagamento bancário, acompanhado da fatura ou do boleto de pagamento.
Portanto, basta que a CLDF cumpra em sua totalidade, a Resolução 31. Simples assim.
Confira a Resolução da CLDF sobre Verba Indenizatória: Ato da Mesa Diretora nº 031, de 2012

 

RÁDIO CORREDOR
Odir Ribeiro

Atendimentos estranhos
Enquanto o Conselho Regional de Medicina (CRM-DF) e o Ministério Público cobram que os médicos preencham em detalhes os prontuários dos pacientes – o que é orientação geral em qualquer serviço de saúde –, o secretário de Saúde do DF, Humberto Fonseca, protagonizou uma situação que está gerando questionamentos que podem acabar em embaraço com o CRM.
Segundo postagem feita por ele mesmo no perfil do Facebook, no sábado (4), ele, que é médico de família e comunidade, e o subsecretário Ismael Alexandrino, que é intensivista, teriam atendido 60 crianças no pronto-socorro pediátrico do Hospital Regional do Gama na manhã daquele dia.
Sabe-se pelos registros que Ismael atendeu 12 crianças. Isso deixaria 48 na conta do secretário. Em um plantão de cinco horas, isso equivaleria a um paciente a cada seis minutos – coisa que dificilmente se vê um pediatra fazer e está abaixo do que preconiza o próprio Ministério da Saúde.
Além disso, ninguém sabe, ninguém viu os prontuários desses atendimentos.
Aí aparecem os questionamentos: um servidor que não tem função de assistência aos pacientes pode entrar no sistema para atender e prescrever? Ele usou a matrícula de outro servidor? Ele não preencheu os prontuários? Ou não atendeu paciente nenhum?
E o que o CRM pensa disso?

Um Passarinho Me Contou

…que os deputados distritais, já começam a mostrar decepção com o governador Rodrigo Rollemberg. Desconfiança total é a frase certa…

…que o governador se reuniu com os distritais e só pediu…pediu…pediu… Agora sobre, a reforma administrativa, nada. Os distritais estão “putos”…

…que Rollemberg irá, sim, fazer a reforma administrativa, mas o “filé” irá ficar mesmo com a cúpula do PSB. Fui entendido?…

…que para os distritais alguns carguinhos nas administrações regionais e um pedacinho de bolo nas secretarias. Nada mais e se reclamar, prato vazio…

…que os deputados distritais querem um pouquinho de filé, mas o governador só tem carré para oferecer. A mesa não está farta para alguns…

…que a questão dos super salários Rollemberg soltou a bomba no colo da Câmara Legislativa. No estilo “toma que o filho é teu.” Muitas emoções…

…que alguns distritais pediram “arrego” ao governador Rollemberg. A salvação passa pelo Palácio do Buriti. Santa influência!…

…que a situação da deputada distrital, Sandra Faraj é grave, mas não a ponto de cassar o mandato. Depende dela. Entenderam o que eu quis dizer?…

…que os três deputados distritais do – PT-DF – vão manter uma distância regulamentar do Palácio do Buriti. Tipo namorados pedindo um tempo. Mais uma charada…

…que o presidente da CLDF, Joe Valle nos bastidores já ganhou o apelido de “refém”, não me perguntem o porquê. Sem respostas para isso…

…que na política manter o fiofó virgem é um grande negócio como diria, o poeta anão filósofo…

Eita Passarinho que sabe de coisas, gente !

 

BLOG DO CELSON BIANCHI

Surreal
Professores da rede pública do DF se reúnem hoje, perto do Teatro Nacional, em assembleia geral organizada pelo Sinpro. Reivindicam reajuste salarial de 18% e protestam contra a reforma da Previdência.

Quem dá mais?!
O GDF já orçou quanto deve custar a reforma do Teatro Nacional, fechado desde 2013. O valor estimado é de 210 milhões de reais. Técnicos do Ministério da Cultura fizeram uma avaliação prévia do orçamento e acreditam que 1/3 do valor seria suficiente.

 

BLOG DO GUILHERME PONTES

Maqueavelismo palaciano: Buriti tenta influenciar julgamento da Drácon
O Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal que tem competência para processar e julgar os deputados distritais nos crimes comuns, nos termos do art. 8º, I, da Lei 11.697/2008 c/c art. 13, I, “b”, do Regimento Interno do TJDFT, é composto de 21 membros e se reúne às terças-feiras.
O desembargador relator do inquérito da chamada “Operação Drácon”, José Divino, deverá incluí-lo na pauta de julgamento deste mês, e submeter à apreciação do órgão colegiado o recebimento ou não da denúncia oferecida pelo Ministério Público do Distrito Federal, bem como o pedido de afastamento cautelar dos parlamentares acusados.
As datas prováveis do julgamento são 14, 21 ou 28 de março. Pensando nisto, o governo por meio de seu braço armado na mídia, deu início a uma série de ataques, na vã expectativa de influenciar a formação do juízo dos desembargadores que participarão da aludida sessão.
Não dará certo. Não é a mídia do governo que irá julgar. Os desembargadores não se deixarão influenciar e, muito menos, intimidar, pela enxurrada de matérias pagas e encomendadas pelo Buriti. Rollemberg pode ter o MP na mão, mas não a Justiça.

Deputado Izalci Lucas é eleito presidente da Comissão Mista da MP 759/2016
O deputado federal Izalci Lucas (PSDB/DF), líder da bancada do DF no Congresso Nacional, acaba de ser eleito o presidente da Comissão Mista que vai avaliar a MP 759/2016, que trata da Regularização Fundiária de Terras da União em todo o país.
A MP 759/2016 está sendo acompanhada por milhares de moradores do Distrito Federal que moram em terras ainda não regularizadas e vivem aterrorizados com as ações de derrubada da AGEFIS a mando de Rollemberg.

Governadoria de Rollemberg reconhece publicamente o caos na saúde primária de Brasília
O coordenador da Coordenação de Mobilização, do Gabinete da Governadoria do Distrito Federal, Ozimpio Dias De Sousa, em nota pública veiculada nas redes sociais, reconheceu que Brasília possui um dos piores índices na atenção primária à saúde:
“Atenção Primária à Saúde” nada mais é que médicos, enfermeiros e profissionais atendendo ao cidadão antes que as doenças aconteçam ou se agravem. Quem é contra esse avanço pode estar mal informado ou não quer uma saúde mais humana e melhor para o povo de Brasília. Quinta-Feira (9) às 15h venha apoiar esta causa na Câmara Legislativa. Ajude Brasília a rasgar o título de capital com um dos piores índices nesta modalidade de atenção essencial para as famílias.”
Ozímpio na verdade foi contido e ponderado se limitando a reconhecer o caos na atenção básica à saúde, quando o caos tomou conta de todas as áreas. A saúde do DF está na UTI, à beira da morte.

A “geração Brasília” prejudica os pioneiros de Brasília cancelando atendimento médico 24 horas
O governo Rollemberg em sua exímia gestão, sobretudo na área de saúde, resolveu agora prejudicar os pioneiros da nossa cidade.
Eles que se intitulam a “geração Brasília”, decidiram cancelar o atendimento 24 horas do centro de saúde nº 2 do Núcleo Bandeirante, que atendia, sobretudo, idosos da cidade e das regiões próximas.
E isto por que os idosos, por Lei, tem preferência no atendimento médico e devem ter atenção especial por parte do DF. É a geração Brasília tratando bem quem deu a vida para construir esta cidade do nada e rasgando o Estatuto do Idoso.

Trapalhadas hídricas: Rollemberg está brincando de governar
Após conseguir a façanha de deixar faltar água pela primeira vez na história de Brasília, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) resolveu fazer algo pelo setor.
Só que em vez de investir recursos do DF na ampliação do setor, ele resolveu ir à esplanada dos ministérios. Segundo Rollemberg não há dinheiro para isto. Mas tem para pagar viagem de Secretário à Las Vegas, voos panorâmicos de secretária, contratar assessor carnavalístico, pagar supersalários para primos, dentre outras prioridades para o atual governo.
Pois bem. Rollemberg visitou o Ministério da Integração em busca de verbas para implementar um projeto de captação de água do Lago Paranoá e, assim, aumentar a capacidade de fornecimento de água à população do DF.
Só tem alguns detalhes: 1. as águas do lago Paranoá têm altos índices de coliformes fecais (fezes humanas). 2. esta obra não irá resolver a crise que se instalou. 3. até ficar pronta e entrar em atividade seu governo já terá acabado. Isto se conseguirem executá-la, o que na atual gestão é um tremendo desafio de tão incompetente que são os quadros comissionados.
Por fim, Rollemberg deveria ter humildade e pedir apoio à bancada federal do DF no Congresso Nacional, em vez levar a tiracolo, seu primo, Maurício Luduvice (o homem do supersalário de R$ 51 mil por mês).

As trapalhadas hídricas de Rollemberg e dos “Eisteins” de supersalários da CAESB (I)
A rede da CAESB não foi projetada para suportar o racionamento imposto por Rollemberg e seu primo, Maurício Luduvice.
A tubulação é antiga e está se rompendo por toda a parte com o aumento de pressão após o religamento da água nas áreas atingidas pelo racionamento.
Se tornou comum presenciar vazamentos de água por toda a parte no DF. Litros e mais litros sendo desperdiçados em tempo de crise por falta de investimento do GDF.

As trapalhadas hídricas de Rollemberg e dos “Eisteins” de supersalários da CAESB (II)
O governo Rollemberg já embolsou à custa do povo mais de R$ 9,6 milhões só com a aplicação da tarifa de contingência sobre a conta de água e de esgoto.
Este recurso milionário que deveria ser investido imediatamente no enfrentamento da crise hídrica no DF (já que Rollemberg nada fez durante os dois primeiros anos de sua gestão nesta área, a não ser empregar parentes e lhes conceder supersalários), está parado por pura incompetência do GDF que alega não ter dinheiro para investir no setor e prefere ir pedir dinheiro ao Governo Federal, via Ministério da Integração.

As trapalhadas hídricas de Rollemberg e dos “Eisteins” de supersalários da CAESB (III)
O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) entregou o plano emergencial para captação de água do Lago Paranoá ao Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.
O ministério analisou a proposta e a rejeitou por apresentar falhas.
Agora, graças à incompetência do governo Rollemberg, a obra que sequer iniciou e não irá solucionar o problema da crise hídrica no DF, demorará ainda mais.
Rollemberg apresentará nova proposta. Vamos orar para que desta vez os técnicos de supersalários do GDF consigam não errar. É muita incompetência para um governo só.

As trapalhadas hídricas de Rollemberg e dos “Eisteins” de supersalários da CAESB (IV)
Após penalizar a população do DF com o racionamento de água de 24 horas, devido à sua incompetência e irresponsabilidade para com o setor hídrico, o governo Rollemberg prolonga a agonia dos moradores do DF quando a água é restabelecida.
Em muitas residências terminado o racionamento, quando o fornecimento é liberado, a água vem suja e a pressão demora muito para voltar ao normal, o que na prática impõe uma tortura contínua à população do DF. E ele ainda quer ser reeleito em 2018.

As trapalhadas hídricas de Rollemberg e dos “Eisteins” de supersalários da CAESB (V)
O presidente da CAESB, sr. Maurício Luduvice, primo do governador Rodrigo Rollemberg (PSB), declarou que a CAESB não se responsabiliza por rompimentos na tubulação causados pela variação de pressão com o racionamento, se o cano estourar da cerca/muro de sua residência para dentro do imóvel.
Ou seja: se nós dermos o azar do rompimento ocorrer do lado de dentro de casa, apesar da CAESB ter causado o dano, o prejuízo é só seu segundo o homem do supersalário.
Esta declaração não nos surpreende vindo do atual governo. Eles são especialistas em se esquivar e não assumir a responsabilidade pelo caos que tomou conta de Brasília.
Mas todos os que forem prejudicados pela irresponsabilidade da CAESB ainda terão a justiça, como opção. Processem a CAESB no Juizado Especial da Fazenda Pública do DF situado no fórum Leal Fagundes. Não deixem este governo inconsequente te deixar sem água e ainda estourar a tubulação da sua casa.
Governador, o povo não é bobo!



Jose Mauricio dos Santos
Autor: Jose Mauricio dos Santos
Jornalista, Cientista Político e especialista em Marketing Político.

Deixe uma resposta