Backstage News DF 13/02/2019 – Efeito cascata: após polícias, servidores pressionam GDF por reajustes

O Backstage News é um produto diário da Tracker Consultoria que reúne os principais colunistas de política do DF com informações dos bastidores do Poder.

 

CORREIO BRAZILIENSE

Eixo Capital
Ana Maria Campos

Servidores preparam ofensiva para cobrar reajustes salariais
A negociação do governo com os servidores da segurança pública mobilizou dezenas de categorias a também cobrarem reajustes salariais. Amanhã, os professores da rede pública farão paralisação durante todo o dia, com a realização de uma assembleia às 9h30, no estacionamento do Mané Garrincha. Além de exigir o pagamento da terceira parcela do aumento, suspenso em março de 2015, os docentes querem 37% de reajuste, mesmo percentual oferecido à Polícia Civil. “Esse aumento é essencial para que o governo cumpra a lei que exige a equiparação do salário dos professores à média de nível superior do GDF”, argumenta Cláudio Antunes, diretor do Sinpro. Além da questão salarial, os professores vão apresentar ainda uma pauta relacionada à melhoria das condições de trabalho nas escolas e com relação à qualidade do ensino.

Ibaneis recebe sindicalistas
Representantes do Sindicato dos Servidores e Empregados da Administração Direta, Fundacional, das Autarquias, Empresas Públicas e Sociedades de Economia do DF (Sindser) têm reunião marcada com o governador Ibaneis Rocha às 11h de hoje. É a primeira vez que o chefe do Executivo vai se encontrar com integrantes da entidade, para a qual Ibaneis já advogou antes da vida pública. “Queremos discutir uma pauta a longo prazo, com foco na valorização dos servidores. Mas não vamos abrir mão da pauta econômica”, explica o presidente do sindicato, André da Conceição.

Mal-estar com militares
Gerou mal-estar entre os militares a ausência do governador Ibaneis Rocha na reunião com representantes de associações de bombeiros e policiais, na manhã de ontem. Parte dos convidados chegou a defender que o grupo deixasse o Palácio do Buriti e se recusasse a negociar com secretários. Alguns militares, entretanto, acalmaram os rebeldes e os convenceram a manter a reunião. A presença do secretário da Casa Civil, Eumar Novacki, ajudou a pacificar os ânimos. Ele é coronel da Polícia Militar do estado do Mato Grosso.

Exigência de experiência nos conselhos tutelares
Os deputados distritais aprovaram ontem o projeto que muda as regras para a eleição de conselheiros tutelares. O governo queria retirar a exigência de comprovação de experiência em trabalhos com crianças e jovens, mas a ideia acabou derrotada. A principal mudança é que, a partir de agora, os eleitores poderão votar em apenas um candidato, e não em cinco, como antes. A bancada evangélica tentou aprovar uma emenda prevendo que entidades religiosas pudessem atestar a experiência dos candidatos a conselheiro tutelar, mas foi derrotada. A sessão de ontem foi a primeira do ano realizada no plenário, que estava fechado para obras.

MPF contra benefício de Estevão
Responsável pela investigação e pelas denúncias contra o ex-senador Luiz Estevão no caso da construção do TRT, a Procuradoria Regional da República em São Paulo acompanha com apreensão o processo que pode levá-lo à liberdade. A instituição divulgou nota ontem contra a progressão de regime para Luiz Estevão. No documento, a Procuradoria lembra que o empresário não devolveu o dinheiro desviado, estimado em R$ 1,04 bilhão, não pagou a multa de R$ 8 milhões, teve mau comportamento na cadeia e ainda foi acusado de corrupção na Papuda. “O Núcleo de Combate à Corrupção entende que as infrações disciplinares cometidas por Luiz Estevão, em plena vigência do esquema de corrupção da Diretoria da Papuda, já seriam suficientes para impedir a progressão de regime por caracterizarem mau comportamento carcerário”, argumentam os procuradores.

Escola de samba terá que devolver quase R$ 1 milhão
A escola de samba Água Imperial, uma das mais tradicionais do carnaval de Brasília, terá que devolver R$ 901 mil aos cofres públicos. A determinação é do Tribunal de Contas do Distrito Federal, que julgou irregular a prestação de contas da agremiação referente ao carnaval de 2009. Uma década depois, a Corte determinou a devolução dos recursos, por conta de indícios de fraudes e de uma suposta triangulação financeira “com o objetivo de ocultar o verdadeiro destinatário dos recursos repassados por este convênio”.

Siga o dinheiro
R$ 2.218.980,90. É o valor estimado de gasto do GDF para a realização de corridas de rua, como a Corrida de Reis

 

METRÓPOLES

Janela Indiscreta
Caio Barbieri

Ibaneis sobre massacre: “Que o Brasil reflita sobre a cultura de paz”
O governador Ibaneis Rocha (MDB) se solidarizou com as famílias das vítimas do massacre em Suzano (SP), onde ao menos 10 pessoas foram mortas e nove feridas após atentado causado por dois jovens que se mataram na ação. Pela sua conta pessoal Twitter, o emedebista pediu que o Brasil reflita sobre “a cultura de paz”.
“É uma tristeza imensa ver crianças e adolescentes perderem a vida de uma forma tão brutal. Estavam na escola Raul Brasil, em São Paulo, aprendendo juntas, cuidando do futuro. Que Deus possa amparar seus pais e familiares e que o país inteiro reflita sobre a importância de cultura de paz, de cultivarmos valores que nos façam amar ao próximo, sem violência. Sou pai e sei que o vínculo com nossos filhos é eterno”, escreveu.
A postagem foi feita pouco antes de Ibaneis embarcar, nesta quarta-feira (13), para Lisboa, em Portugal, onde tenta buscar investimentos para o Distrito Federal. Entre as ações previstas, está a negociação para o aumento de número de voos da companhia aérea do país lusitano TAP com destino a Brasília.
Ibaneis assinará um acordo com a TAP a fim de transformar o Distrito Federal em um stopover. A iniciativa dará a estrangeiros a oportunidade de permanecerem entre dois e cinco dias na capital da República, durante viagens mais longas. A escala prolongada poderá ser feita a partir de aeroportos administrados pela Inframerica.

 

BLOG RISCOS E TENDÊNCIAS
José Maurício dos Santos

Efeito cascata: após polícias, servidores pressionam GDF por aumento salarial
Não demorou muito para a generosidade do governador do distrito Federal (DF), Ibaneis Rocha (MDB), para com as polícias civil (PCDF) e militar (PMDF), e o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) ao prometer um reajuste salarial de 37% para as categorias, virar um efeito cascata e estimular reivindicações de outras categorias.

Professores preparam ofensiva
Está marcada para a manhã desta quinta-feira uma paralisação dos professores da rede pública que realizarão uma assembleia às no estacionamento do Mané Garrincha. Eles reivindicam a quitação da terceira parcela do aumento, suspenso em março de 2015 e os 37% de reajuste, já considerado pela categoria como um reajuste padrão.

Déjà vu
Hoje de manhã o GDF se encontrou com representantes do Sindicato dos Servidores e Empregados da Administração Direta, Fundacional, das Autarquias, Empresas Públicas e Sociedades de Economia do DF (Sindser). Ibaneis tem uma relação antiga com integrantes do sindicato, para os quais já prestou serviços de consultoria jurídica antes de ser governador. Entre os assuntos em pauta, a privatização da TCB.

Como que está 1
A proposta da polícia civil já foi entregue ao Planalto, que está empenhado em ajustar as contas públicas por meio de corte de gastos e reformas estruturais. O Ministério da Economia já avalia rever o valor de 37% e cogita enviar ao Congresso apenas após a aprovação da reforma da Previdência. Além da resistência do Planalto, o desafio maior será convencer os congressistas de outros estados, que ao contrário do DF, os gastos com a Segurança Pública não vem da União.

Como que está 2
Já a proposta da PMDF e do CBMDF foi entregue ao GDF na terça-feira (13) com três alternativas cuja finalidade é equiparar ao reajuste de 37% da PCDF.

Reivindicações 1
Uma das sugestões que teve mais aceitação ao longo do encontro propõe que o pagamento do reajuste seja feito em seis vezes: Duas parcelas de 5% em 2019; duas de 6,5% em 2020; uma parcela de 7% e outra de 7,5% em 2021.

Reivindicações 2
As outras duas propostas similares apresentadas pela categoria, uma por cada entidade representativa, pede que o auxílio-moradia seja incorporado à remuneração dos militares, em vez de verba indenizatória, como é nos moldes atuais. Outra alternativa é manter o auxílio-moradia como verba indenizatória, mas com os pagamentos feitos via Fundo Constitucional do DF.

Fiscalização e Controle
Essa última possibilidade já foi criticada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) Atualmente, o benefício é concedido por meio de verba indenizatória. A segunda proposta das entidades mantém o auxílio-moradia como verba indenizatória, mas regulamenta os pagamentos por meio do Fundo Constitucional.

 

BLOG DO FRED LIMA

Paco Britto: um vice nada decorativo
A atuação do vice-governador do DF, Paco Britto (Avante), não se restringe apenas às formalidades do cargo quase de honra. Paco vem se destacando ao representar o governador Ibaneis Rocha (MDB) nas inaugurações de obras pela cidade, além de eventos sociais.
O vice-governador entregou a moradores de Ceilândia, nesta quarta-feira (13), a Praça Ferrock. “Essa reivindicação da comunidade é muito antiga. É da população aqui da 13 e vai beneficiar os alunos e moradores da região para a prática de atividades ao ar livre”, afirmou Paco.

 

BLOG DO DONNY SILVA

Moradores de Águas Claras torcem pela saída de Ney da Administração Regional
O administrador de Águas Claras, Ney Robsthon já ganhou apelido na cidade: Trapalhão! E não é pra menos. O sujeito têm batido de frente com entidades representativas da cidade. A página da Associação de Moradores e Amigos de Águas Claras (Amaac) no Facebook está repleta de postagens com pedidos para as pessoas não frequentarem o Quattro Pizza Bar, na Avenida Pau Brasil, de propriedade do administrador. Pelo visto, ele será o primeiro a cair no fim de março. Pelas redes sociais, a população de Águas Claras torce muito para que isso ocorra.
Além de antipático, Robsthon não é político nem sabe o que está fazendo por lá, e de sobra, tem prejudicado o governo de Ibaneis Rocha. Gestão pública não é gestão de pizzaria!

 

BLOG RÁDIO CORREDOR
Odir Ribeiro

Comentário ‘faísca’ entre PMDF e PCDF que vira incêndio
Infelizmente – para a população – a relação das polícias Militar e Civil no Distrito Federal não é das melhores.
E em meio a polêmica do aumento salarial para as categorias, cada faísca vira um incêndio.
Ontem um comentário do delegado e ex-diretor de Comunicação da PCDF, Miguel Lucena foi uma faísca.
No Facebook, o delegado publicou: “Alguém já viu algum figurão rico sendo preso por polícia fardada?”. Ele fazia referência de que a polícia fardada “só prende pé rapado”.
As duas categorias protagonizam embates sobre competências, entre elas, a de investigação.
Lucena não tem papas na língua. Corriqueiramente o delegado emite opiniões que geram longos debates. Será que esse vai gerar?
Alguém já viu algum figurão rico sendo preso por polícia fardada?

Tocou na ferida do PT
O PT em todo Brasil precisa se reinventar. Ou, caso contrário, o abandono ao barco pode se agravar.
Figura respeitada por todos os partidos, o ex-distrital Wasny de Roure anunciou saída da legenda e tocou na ferida do agora ex-partido, em entrevista ao Correio Braziliense.
“Sou muito grato ao PT, tudo que aprendi sobre política foi no partido. Reconheço seu valor histórico. Mas eu acho que o PT precisa retomar a pauta prioritária de defesa da classe trabalhadora. O poder engessou o partido e redirecionou sua atuação. É preciso se concentrar em uma pauta que valorize o que foi a razão de sua criação e existência.”
Será que vão seguir o conselho?

A base de Ibaneis está fragilizada
Os deputados distritais voltaram aos trabalhos em definitivo e uma coisa é certa; a relação entre o governo Ibaneis e os deputados distritais não está boa.
Estivemos na CLDF e conversamos com os parlamentares. De forma reservada disseram que no que depender de como barco fluir, nada do governo será votado e tudo será empurrado com a barriga.
Um exemplo de projeto que não irá passar de jeito nenhum é o que altera a lei do Passe Livre. O governador quer fazer modificações. Os parlamentares não querem esse desgaste para o lado deles. “Eu acho que o governador deveria retirar esse projeto. Seria bem nobre”, relatou Reginaldo Veras (PDT).
A falta de “carinho” do governador pode fazer com que ele tenha dificuldades, pelas palavras de Reginaldo Veras. A base governista é uma “geleia”.
O governador precisa abrir os olhos…



Jose Mauricio dos Santos
Autor: Jose Mauricio dos Santos
Jornalista, Cientista Político e especialista em Marketing Político.

Deixe uma resposta