Backstage News DF 36/2018 – Fim da janela partidária: saiba para qual partido eles foram

O Backstage News é um produto diário da Tracker Consultoria que reúne os principais colunistas de política do DF com informações dos bastidores do Poder.

 

CORREIO BRAZILIENSE

CB. Poder
Ana Maria Campos e Helena Mader

Operação Hemera: MPDFT pede quebra de sigilo telefônico de Sandra Faraj
O Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) pediu à Justiça local, nesta segunda-feira (09/04), a quebra de sigilo telefônico da distrital Sandra Faraj (PR) e do irmão dela, o suplente de senador Fadi Faraj, além de outras três pessoas. O órgão quer ter acesso ao registro das ligações e ao conteúdo das mensagens trocadas pelos alvos no período compreendido entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro de 2017.
A distrital é investigada na Operação Hemera pelo suposto desvio de R$ 142 mil em verba indenizatória, valor que deveria ser repassado à Agência Netpub, em razão da prestação de serviços de informática e publicidade ao longo de um ano. De acordo com o MPDFT, há indícios de que, a mando dela, comissionados furtaram um computador com informações prejudiciais à parlamentar na sede da empresa, em 9 de fevereiro de 2017.
O órgão destaca que, o acesso às mensagens e ligações contribuiria para o esclarecimento da dinâmica da prática criminosa, “a partir da demonstração do padrão usual de interlocução telefônica entre os investigados e da comparação com a quantidade, duração e sequência das chamadas originadas/recebidas na data do furto”.
Ademais, os registros das Estações Rádio Base vinculadas aos celulares demonstrariam os deslocamentos dos investigados no dia do crime. Além de Sandra e Fadi Faraj, são alvos da medida os funcionários da parlamentar Kátia Siqueira e Harisson Nepomuceno; e o braço-direito do suplente, Renato Lúcio de Lima.

Ações acumuladas contra Faraj
Pelo suposto desvio dos R$ 142 mil, a distrital foi denunciada, na esfera criminal, por estelionato majorado. A deliberação sobre o recebimento da denúncia, suspensa no mês passado, será retomada, nesta terça-feira (10), no Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT). Na área cível, ela responde por improbidade administrativa. Há, também, uma ação em trâmite na 2ª Vara de Execução Extrajudicial, que requer o pagamento da dívida.
O Correio tentou contato com Sandra Faraj, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem. Em oportunidades anteriores, a parlamentar disse ser “vítima de uma vingança de ex-comissionados”, se referindo ao proprietário da Netpub e ex-funcionário, Filipe Nogueira Coimbra, e ao ex-chefe de gabinete e testemunha de acusação, Manoel Carneiro.

Chico Vigilante: “Vamos registrar a candidatura de Lula de qualquer jeito”
Em entrevista ao CB.Poder, que foi ao ar nesta tarde (09/04) na TV Brasília, o deputado distrital Chico Vigilante (PT) disse que a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dá força para a militância lutar por mudanças.
Vigilante criticou o juiz Sérgio Moro, que condenou o ex-presidente no caso do tríplex de Guarujá, endossando discurso de que o magistrado seria “doente”. O petista apontou uma conspiração nacional e dos Estados Unidos contra o PT.
Garantiu que a candidatura do ex-presidente será registrada na Justiça Eleitoral mesmo que Lula esteja ainda preso e chamou de “quadrilha” o governo de Michel Temer. Segundo o distrital, a prisão de Lula deixou o PT mais forte e unido. “O PT está num grau de unidade nunca visto”.

Agnelo, Arruda e Filippelli estão entre os denunciados pelo superfaturamento no Mané
Os ex-governadores Agnelo Queiroz (PT) e José Roberto Arruda (PR), além do ex-vice governador Tadeu Filippelli (MDB) estão na lista dos denunciados, nesta quinta-feira (6/4), pelo Ministério Público Federal no DF. Constam também o presidente da Via Engenharia, Fernando Queiroz; o ex-presidente da Novacap, Nilson Martorelli; a ex-diretora da Terracap, Maruska Oliveira; e outras seis pessoas. Se a 12ª Vara Federal aceitar a acusação, todos viram réus, quase um ano depois do início das investigações. A relação foi divulgada pelo DFTV, da Rede Globo, e confirmada por fontes ouvidas pelo Correio.
Os denunciados devem responder por organização criminosa, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e fraude à licitação. De acordo com relatório da Polícia Federal que embasou a denúncia, entregue ao MPF/DF em agosto de 2017, os ex-chefes do Executivo organizaram um “acordo de mercado”, no qual as maiores empresas do Brasil pagavam propina a gestores para vencer as licitações das principais obras do governo do Distrito Federal. Entre elas, o Mané Garrincha.
No documento de 350 páginas, a Polícia Federal descreve o resultado de perícias em notebooks, celulares e outros objetos colhidos durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão. Há, ainda, trechos de delações, estudos técnicos, laudos, notas fiscais e documentos entregues pela empreiteira que, segundo a corporação, comprovam a existência de um esquema fraudulento que superfaturou a construção da arena e desviou verbas. O material será encaminhado ao MPF, órgão responsável pelas denúncias à Justiça.
Além das delações de executivos da construtora Andrade Gutierrez, a apuração é embasada em informações da Agência de Desenvolvimento de Brasília (Terracap). Em abril, policiais federais requisitaram à estatal, responsável pelos repasses financeiros para a empreitada, toda a documentação referente às obras do Mané Garrincha. Integrantes do governo local também entregaram aos investigadores o balanço final da Terracap, que apontou um rombo de R$ 1,3 bilhão com a construção do estádio.
Mesmo investigados, Agnelo e Filippelli pretendem voltar ao protagonismo político e devem disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Arruda, por outro lado, atua nos bastidores para emplacar a chapa de aliados.

Acusados
O Correio entrou em contato com Agnelo Queiroz (PT) que não atendeu às ligações ou respondeu as mensagens de WhatsApp. O advogado dele, Daniel Guerber, afirmou que o ex-governador se manifestaria apenas nos autos. Arruda chegou a atender o telefone, contudo, a ligação caiu após o questionamento sobre a denúncia. Filippelli informou que não teve acesso à denúncia. Os demais envolvidos não foram encontrados pela reportagem.

Confira a lista:
Agnelo Queiroz — Ex-governador do DF
Tadeu Filippelli — Ex-vice-governador do DF
José Roberto Arruda — Ex-governador do DF
Maruska Lima de Sousa Holanda — Ex-diretora de Edificações da Novacap e ex-presidente da Terracap
Nilson Martorelli — Ex-presidente da Novacap
Fernando Queiroz — Proprietário da Via Engenharia
Jorge Luiz Salomão — Operador de Agnelo
Sérgio Lúcio Silva de Andrade — Operador de Arruda
Afrânio Roberto de Souza Filho — Operador de Filippelli
Luiz Carlos Alcoforado — Ex-advogado de Agnelo, teria recebido propina destinada ao petista
Wellington Medeiros — Ex-desembargador e advogado, teria recebido propina para Arruda
Alberto Noli— Executivo da Via Engenharia

 

JORNAL DE BRASÍLIA

Do Alto da Torre
Millena Lopes & Francisco Dutra

Quem tem prestígio, consegue mais
Enquanto 33 categorias de servidores públicos do Governo do Distrito Federal (GDF) esperam a disposição – e capacidade – do governo em negociar reajustes salariais e melhores condições de trabalho, a Câmara Legislativa do DF aprovou a toque de caixa um projeto de lei complementar que altera o quadro de cargos da carreira de procurador do DF e autoriza a promoção de 54 procuradores para a categoria II e 27 para a categoria de subprocurador-geral.

Aprovação sem alarde
O pré-texto foi feito pela direção da Casa e enviado pelo governador à CLDF no último dia 3. Nas vésperas do envio ao legislativo, a procuradora-geral, Paola Aires Corrêa Lima, foi articular pessoalmente a votação aos líderes das bancadas para que o projeto fosse incluído na pauta do dia seguinte. O lobby funcionou. O Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 136/2018, que revoga dispositivos da LC nº 395/2001, foi aprovado pelos deputados distritais no mesmo dia em que chegou na CLDF. Paola ficou no plenário da Câmara para garantir o acordo.

De acordo com a Procuradoria…
…“A mudança confere maior dinâmica à Carreira de Procurador do DF e permite a transição dos respectivos membros entre os patamares da categoria. Cuida-se, portanto, de importante medida de valorização da carreira.”

Nas mãos da Justiça
Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Civis da Administração Pública Direta, Autarquias, Fundações e Tribunal de Contas do DF (Sindireta), Ibrahim Yusef, as categorias aguardam recurso judicial para que o GDF cumpra com a promessa de pagamento de última parcela de gratificações . “Disse que seria após sair da LRF, mas estamos vendo que alguns servidores são preteridos. Essa notícia é muito ruim para nós.”

Dança das cadeiras
Só um dos oito deputados federais do DF aproveitou a janela eleitoral para trocar de partido. Foi Ronaldo Fonseca que, à última hora, deixou o Pros e aderiu ao Podemos. Já distritais foram sete: Liliane Roriz, Rodrigo Delmasso, Raimundo Ribeiro, Cláudio Abrantes, Celina Leão, Robério Negreiros e Sandra Faraj. MDB, PSD, PDT e PR cresceram. PPS e PTB sumiram.

Sem Lula, sem PT
Se o cenário político para o PT não estava bom antes da prisão do ex-presidente Lula, agora o clima é de incertezas. Uma reunião hoje com a Executiva Regional do partido, às 19h, deverá dar os primeiros encaminhamentos para os dias que seguem até as eleições. Uma proposta que será analisada é a do deputado distrital Chico Vigilante, que defende o boicote às eleições. “Vou continuar insistindo nessa ideia, não podemos participar desta farsa”.

Tempos radicais
“A prisão de um ex-presidente da Republica não deveria ser comemorada. A prisão de Lula foi correta, porque ele deve explicações para a Justiça. Agora ficar comemorando isso? Toda essa história deveria ser para que o Brasil lamentasse e buscasse melhorar enquanto país. Mas o que vejo são as pessoas comemorando ver um ex-presidente atrás das grades. A Justiça agiu corretamente na prisão, mas é lamentável a forma como a população está lidando com tudo isso”, comenta o presidente regional do Podemos, deputado federal Ronaldo Fonseca.

Copo meio cheio ou vazio
O núcleo politico do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) ainda está processando o resultado das conquistas e perdas na briga por filiações na última janela de troca de partidos, nacional e localmente. A chegada do ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, foi um sopro de esperança. O magistrado é um simbolo. Agora, a não-filiação do secretário Valdir Oliveira para ser o candidatos a vice complica a estratégia de reeleição. O “não” do secretário pesou muito. Mas Oliveira continua no GDF e sendo um dos principais aliados de Rollemberg. O copo está pela metade.

PV e os tucanos
No patamar nacional, o PV começa a dar passos consistentes em direção ao PSDB. O movimento é endossado pelo PSD.

Festa pós-jejum
Ao lado do secretário Jaime Recena, o governador Rodrigo Rollemberg comemorou ontem o sofrido título do Botafogo. Festa valeu também para o fim de um jejum de cinco anos.

 

METRÓPOLES

Grande Angular
Lilian Tahan

De pedra a vidraça: Cristovam ataca Lula e vira alvo da militância
O senador Cristovam Buarque (PDT) aproveitou o discurso de 55 minutos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no último sábado (7/4) – pouco antes de o petista se entregar à Polícia Federal – para criticar o ex-aliado nas redes sociais. O tema da alfinetada não poderia ser outro: educação.
“Não há demagogia mais explícita do que prometer diploma universitário para quem não concluiu um bom ensino médio. Foi isso o que Lula fez em seu governo e mais uma vez no seu discurso, iludindo o povo”, escreveu Cristovam, no Twitter.
A fala de Cristovam não passou despercebida na rede. Defensores de Lula promoveram uma verdadeira enxurrada de respostas ao senador brasiliense. Até a publicação da nota, o texto contava com mais de 3 mil comentários.
Em um deles, um internauta vociferava: “É o oportunismo personalizado e sem caráter, rancoroso e incompetente”. Em outro, o seguidor advertia que “demagogia é você tentar colocar na conta do PT suas amarguras e ódio”.
O senador atribuiu a repercussão ao “clima de polarização” e disse que os ataques foram feitos por pessoas “manipuladas”.

Empresa da família Pedrosa abre seleção para vagas inexistentes
Um anúncio de vagas para vigilantes correu as redes sociais e gerou dois movimentos distintos nesta segunda-feira (9/4). Primeiro, atraiu centenas de pessoas à empresa Esparta Segurança, pertencente à família da pré-candidata ao Palácio do Buriti Eliana Pedrosa (Pros), no começo da manhã. Em seguida, gerou desconfiança de que há motivação eleitoral por trás da oferta.
Isso porque as vagas de emprego, por enquanto, sequer existem. Mesmo assim, a empresa abriu processo seletivo para cadastro reserva. A Esparta oferece salário de R$ 2.012, piso da categoria, além de adicional de periculosidade, vale-transporte e vale-alimentação.
A suspeita, conforme denúncias recebidas pela coluna, é de que as supostas vagas estariam sendo usadas como isca para atrair cabos eleitorais da campanha de 2018.
A empresa nega qualquer cunho político e informa que, embora hoje não tenha nenhuma vaga aberta, está participando de processo licitatório para a área privada. “Em momento algum, o processo seletivo foi utilizado para esse fim (eleitoral)”, disse Anne Cristina, gerente de relacionamento da Esparta. Como ainda não sabe se terá êxito no certame e por exigência de sigilo, a empresa não tem definição sobre o número de postos de trabalho a ser ofertado.
“Essa foi a parte que achei mais estranha. Preenchi o questionário com meus dados (incluindo número de Título Eleitoral) e ficaram de me dar um retorno ainda nesta semana. Mas não disseram nada sobre a vaga”, relatou um dos candidatos que participou do processo seletivo no Setor de Indústria e Abastecimento (SAAN), onde também funciona a Dinâmica Serviços, do mesmo grupo. O rapaz pediu para não ter o nome divulgado.
Procurada, a ex-distrital Eliana Pedrosa disse que não iria se manifestar sobre o caso por não ser proprietária da Esparta Segurança.

Panatenaico: MPF-DF denuncia 12 pessoas por desvios no Mané Garrincha
Quase um ano depois de deflagrada a Operação Panatenaico, o Ministério Público Federal do DF (MPF-DF) ofereceu três denúncias, nesta sexta-feira (6/4), à 12ª Vara da Justiça Federal. No total, são 12 alvos, que devem responder por organização criminosa, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e fraude à licitação.
Como corre em sigilo, em função dos termos de colaboração de executivos da Andrade Gutierrez que embasaram as investigações, os nomes não foram divulgados. O MPF, entretanto, pediu o fim do segredo de Justiça.
A Panatenaico foi deflagrada em maio de 2017 com o objetivo de apurar irregularidades na reforma do Estádio Mané Garrincha. Na época, a Polícia Federal denunciou 21 pessoas.
Fontes do Metrópoles no MPF-DF informaram que essas são apenas as primeiras denúncias de um longo processo. Casos mais complexos ainda estão sendo analisados. Outros indiciados pela Polícia Federal, além dos 12 já citados, também poderão ser denunciados.

Cartel e propina
O alvo da investigação era a formação de um cartel por várias empreiteiras para burlar e fraudar o caráter competitivo da licitação e assegurar, de forma antecipada, que os serviços e as obras fossem realizadas por consórcio constituído pelas empresas Andrade Gutierrez e Via Engenharia. Como contrapartida, os vencedores teriam pago propina a agentes políticos e públicos.
Foram presos os ex-governadores José Roberto Arruda (PR), Agnelo Queiroz (PT) e o ex-vice-governador Tadeu Filippelli (MDB), entre outras pessoas. Todos foram soltos uma semana depois da prisão.
Os advogados de defesa dos ex-governadores Arruda, Agnelo Queiroz e de Filippelli, além de Afrânio, afirmaram não ter lido a denúncia. Segundo eles, somente após ter acesso ao documento poderão comentar o caso. O Metrópoles tenta contato com as defesas dos demais denunciados.
As investigações da PF identificaram fraudes e desvios de recursos públicos em obras de reforma do Estádio Nacional Mané Garrincha para a Copa do Mundo de 2014. Orçada em R$ 600 milhões, a arena brasiliense custou mais de R$ 1,6 bilhão. A estimativa é de desvio de R$ 900 milhões. A operação é decorrência das delações de ex-executivos da Andrade Gutierrez.
Em setembro do ano passado, o Metrópoles mostrou que os procuradores avaliavam a possibilidade de oferecer denúncias separadas. Após a denúncia da Polícia Federal, eles começaram a analisar os depoimentos, laudos periciais e documentos do inquérito.

Janela Indiscreta
Caio Barbieri

ADI contra lista tríplice para Polícia Civil e Detran na pauta do TJ
Adiada por duas sessões, a ação direta de inconstitucionalidade (ADI) contra a lei que institui a lista tríplice para escolha dos dirigentes da Polícia Civil e do Departamento de Trânsito (Detran) volta à pauta do Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios nesta terça-feira (10/4). Em janeiro, a votação foi prorrogada a pedido do desembargador Waldir Leôncio, relator do processo.
A ADI do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) questiona a emenda à Lei Orgânica nº 102. Os promotores afirmam que é prerrogativa do governador designar os dirigentes da corporação e da autarquia. Eles estendem que o mesmo vale para a escolha dos comandantes da Polícia Militar do DF e do Corpo de Bombeiros Militar.
Embora a emenda, de autoria do deputado e vice-presidente da Câmara Legislativa, Wellington Luiz (MDB), trate apenas da escolha dos dirigentes da Polícia Civil e do Detran, o MPDFT amplia o pedido: “Há uma inconstitucionalidade formal porque a lei estabelece regras restritivas para os comandantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros e diretores-gerais da Polícia Civil e Detran”, diz o parecer do Ministério Público na ADI, a ser analisado pelos 21 desembargadores.
A emenda à Lei Orgânica, aprovada na CLDF em 26 de junho do ano passado, tira das mãos do governador a exclusividade da escolha dos diretores. Segundo prevê a norma, os servidores da Polícia Civil e do Detran devem elaborar uma lista tríplice e submetê-la ao Palácio do Buriti.
Antes da aprovação, a escolha dos dirigentes dessas unidades era de competência exclusiva do chefe do Executivo local. A indicação sempre foi foco de grande descontentamento nos órgãos, uma vez que, geralmente, é feita com base em interesses políticos e nem sempre técnicos.

Flávio Werneck, da PF, e Cristiano Torres tentam dobradinha pelo PHS
Estão se preparando para as eleições deste ano o presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal (Sindipol-DF) e vice-presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Flávio Werneck, e o vice-presidente do Conselho Nacional de Entidades Representativas de Trabalhadores e Servidores do Sistema Socioeducativo (Conasse), Cristiano Torres. Ambos se filiaram ao PHS-DF na sexta-feira (6/4).
Eles tentarão uma dobradinha: Werneck como candidato para a Câmara dos Deputados e Torres concorrendo à Câmara Legislativa (CLDF). A campanha terá como bandeira melhorias na segurança pública, segundo Werneck. “A gente não consegue buscar atualmente, dentro do Congresso, propostas que tragam a modernização da segurança pública no Brasil”, aponta.
“Como agentes do socioeducativo e da Polícia Federal, acreditamos que temos muito a contribuir. Vamos buscar o avanço nas soluções das demandas da população do DF”, diz Torres.
Em 2014, Werneck concorreu a uma vaga de deputado federal pelo PDT. À época, conquistou 9.327 votos, mas não se elegeu. Torres, por outro lado, não se candidatou anteriormente.

Processo administrativo
Werneck enfrenta um processo administrativo disciplinar na Polícia Federal por suspeita de entregar para Jaques Wagner, então ministro-chefe da Casa Civil, um dossiê com informações sobre integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato. De acordo com ele, porém, trata-se de fake news. “O processo está em aberto há dois anos. O parecer foi pela inexistência daquele fato. Há decisão do Judiciário arquivando aquela situação”, explicou.

Acordo fechado: Raimundo Ribeiro disputará novo mandato pelo MDB
Um dos últimos distritais a oficializar mudança partidária, Raimundo Ribeiro deixou o PPS e oficializou o flerte com o MDB, do ex-vice-governador Tadeu Filippelli. Ele será o terceiro distrital da bancada da sigla: Wellington Luiz e Rafael Prudente já são filiados.
Nos últimos instantes para conseguir migrar de sigla sem sofrer sanções da Justiça Eleitoral, o parlamentar fechou com a nova legenda depois de forte negociação com PR e o próprio PSDB, onde já foi filiado.
Para Ribeiro, o que pesou foi a nominata classificada por ele como “pouco competitiva”. O parlamentar, que acumula três mandatos na bagagem, preferiu não correr risco e ser acolhido em legenda onde tivesse chances reais de carimbar sua permanência na Câmara Legislativa.
Com a mudança de Ribeiro, sete dos 24 distritais decidiram trocar de legenda com respaldo da regra da janela partidária até a tarde deste sábado (7/4).
Além do parlamentar, oficializam a entrada no MDB o ex-deputado federal Luiz Carlos Pietschmann, mais conhecido por Pitiman, que abandonou o tucanato para voltar ao partido ao qual se elegeu deputado federal.
Ele, porém, garante que não pretende disputar novo mandato, mas encabeça a entrada de ao menos 11 ex-tucanos ao partido de Filippelli.

Ex-chefe da Casa Civil do DF, Hélio Doyle filia-se ao PDT
O ex-secretário da Casa Civil do Distrito Federal Hélio Doyle se filiou ao PDT, legenda do presidente da Câmara Legislativa e pré-candidato ao GDF, Joe Valle. Doyle diz, porém, que não tem intenção de entrar na corrida eleitoral de outubro deste ano. O objetivo é outro: trabalhar com Ciro Gomes, postulante à Presidência da República.
O jornalista é conhecido no meio político. Em 2014, foi o coordenador da campanha de Rodrigo Rollemberg (PSB) ao Buriti. Depois que o socialista venceu a disputa, acabou promovido a chefe da Casa Civil do DF, mas entregou o cargo após desgaste com deputados distritais. Ele também trabalhou com Joaquim Roriz, Maria de Lourdes Abadia e Cristovam Buarque.
Em entrevista ao Metrópoles, em fevereiro, Ciro Gomes reforçou a liberdade dos correligionários do PDT-DF para encontrar o melhor caminho rumo ao Palácio do Buriti. Em março, lançou oficialmente Joe Valle como pré-candidato ao GDF. O real destino do presidente da Câmara Legislativa, no entanto, ainda é incerto: ele tenta negociar a disputa para o Senado.

Alberto Fraga e Laerte Bessa criticam demora em prender Lula
Conhecidos pela oposição ferrenha ao Partido dos Trabalhadores, dois parlamentares da bancada da bala na Câmara dos Deputados provocaram, na sexta-feira (6/4), autoridades da Lava Jato pela demora em executar a prisão do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
Os deputados federais Alberto Fraga (DEM-DF) e Laerte Bessa (PR-DF) usaram as redes sociais para inflamarem ainda mais o tenso impasse sobre a situação jurídica do líder petista.

Fundador de projeto para salvar dependentes será candidato no DF
Mal decidiu ingressar oficialmente na política e o fundador da ONG Salve a Si, José Henrique França, acabou passando por uma saia justa. Incentivado a disputar uma cadeira da Câmara Legislativa na turma da “nova política”, tendo como líder-maior o senador Reguffe (sem partido), o novato acabou sendo pressionado a filiar-se ao PSB, do governador Rodrigo Rollemberg.
Conhecido pela bagagem de ter ajudado pelo menos 2,5 mil dependentes químicos a deixarem o vício e por defender melhorias nas políticas públicas para redução do uso de drogas, França aguardou até onde pôde por uma sinalização do senador para indicar a sigla pela qual deveria concorrer.
Sem sucesso, acabou aceitando o convite de amigos que hoje militam para Rollemberg: será um dos candidatos do PSB a tentar vaga no Legislativo local.

Marido de Jaqueline Roriz é internado após bater boca com Hélio José
Marido da ex-deputada federal Jaqueline Roriz (PMN), Manoel Neto passou mal e foi internado nesta sexta-feira (6/4) no Hospital Home, localizado na Asa Sul, em Brasília. O episódio foi confirmado por familiares da ex-parlamentar e por aliados do senador Hélio José (Pros-DF). Um cateterismo no coração está marcado para a manhã deste sábado (7).
Segundo relatos, o empresário e ex-presidente da Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) deu entrada na unidade de saúde após desentendimentos com o senador Hélio José. Tanto o primogênito de Jaqueline, Joaquim Roriz Neto, quanto o parlamentar disputarão uma das oito vagas para a Câmara dos Deputados pelo mesmo partido.
O acordo é que a ajuda de R$ 3 milhões para a campanha do herdeiro de Roriz fosse antecipada pela sigla, fato que teria incomodado o senador. Por ter mandato, Hélio José foi o responsável por ter levado parte dos recursos do fundo partidário para o Pros. Caso o parlamentar deixe a agremiação, contudo, a verba permanecerá sob a tutela do presidente nacional da legenda, Eurípedes Junior.
Procurados, a ex-deputada Jaqueline Roriz, o senador Hélio José e o presidente do Pros, Eurípedes Júnior, não se manifestaram até a publicação desta nota.

Líder da área de TI se filia ao MDB para levantar bandeira na CLDF
Presidente de uma das principais associações que representam os empresários do ramo de tecnologia da informação (Assespro), Christian Tadeu vestiu a camisa emedebista. Ele foi um dos recentes filiados ao MDB-DF nos últimos momentos antes do fim do prazo para filiação partidária.
Em outubro, o empresário pretende disputar uma das 24 cadeiras da Câmara Legislativa para defender a pauta de interesses das empresas de TI no Distrito Federal. “O setor que represento precisa ter união”, disse.

Presidente do PSL, partido de Bolsonaro, dá bronca no diretório do DF
Gustavo Bebianno, presidente em exercício do diretório nacional do PSL – partido que abriga o presidenciável Jair Bolsonaro –, divulgou vídeo no qual dá um puxão de orelhas na executiva da legenda na capital da República. “Você que pretende ter o nosso apoio, não se filie ao PSL do Distrito Federal. O PSL do DF não se alinha nem com a nacional, muito menos com o deputado Jair Bolsonaro”, disse.
O motivo da desavença é que os caciques do partido não gostaram nada de o presidente regional da sigla, Newton Lins, ter convocado reunião com os pré-candidatos proporcionais para declarar apoio à pré-candidatura do tucano Izalci Lucas ao Palácio do Buriti, sem anuência dos líderes nacionais.
Bolsonaro já havia declarado apoio ao projeto do general da reserva Paulo Chagas (foto em destaque), que acabou filiado ao Partido Republicano Progressista (PRP) como retaliação à postura de Newton Lins.
O cacique vai além: orienta os seguidores de Bolsonaro a não ingressarem na legenda local. “Se você pretende receber o apoio do PSL nacional e do deputado Jair Messias Bolsonaro, filie-se ao PRP. O nosso candidato para o Governo do DF é o general Paulo Chagas”.
Procurado pela coluna, Newton Lins preferiu não se manifestar. Sem dúvida, o desconforto do general atingiu em cheio a pré-campanha presidencial.

 

JORNAL ALÔ BRASÍLIA

ONs & OFFs
Sandro Gianelli

Tucano Mor
Na queda de braço entre os tucanos governistas e os tucanos opositores ao governo Rollemberg, quem levou a melhor foi o deputado federal Izalci Lucas. Izalci apanhou por praticamente um ano, mas na “Hora H” ele conseguiu manter o comando da sigla e segue como pré-candidato ao Governo do Distrito Federal. No último sábado (7) Izalci reuniu milhares de amigos na comemoração de seu aniversário.

Debandada governista
Tucanos históricos trocaram o PSDB pelo PSB: Maria de Lourdes Abadia, Virgilio Neto e companhia vão concorrer nas eleições de 2018 não mais não mais como tucanos, agora pelo PSB, que montou, talvez, a nominata mais competitiva para a Câmara Legislativa.

Rindo a toa
Quem está rindo a toa é o jornalista, radialista e assessor parlamentar do deputado Izalci, Luciano Lima, que ganhou várias apostas com pessoas que acreditavam que Izalci seria derrotado e perderia o comando do partido.

Toma lá, da cá
O PSB do governador Rodrigo Rollemberg tirou do PRB a Secretária de Esporte Leila do Vôlei. Já o deputado distrital Julio César (PRB) tirou do PSB o subsecretário de Educação Básica da Secretária de Educação Daniel Crepaldi.

Desprestigio
Daniel ficou por muitos anos filiado ao PSB, chegou ao poder na ascensão de Rollemberg, mas por não conseguir indicar um pessoa de sua confiança para a subsecretária, se sentiu desprestigiado e trocou de sigla. Outro motivo foi a quantidade de filiações que o PSB fez nos últimos dias, principalmente para deputado distrital.

Trabalho reconhecido
Na Educação, Crepaldi foi responsável pela implementação de mais de 2 mil vagas em cursos técnicos para ensino médio, e em torno de 15 mil vagas em cursos de formação continuada para EJA, mulheres em situação de vulnerabilidade, estudantes especiais, sistema prisional, socioeducação e para comunidade em geral, em quase todas as regiões administrativas do DF.

Em busca de grupo
Crepaldi escolheu o PRB pela proposta de grupo. “O partido consegue valorizar a coletividade mesmo com os diversos projetos pessoais que existem em qualquer partido político”. A afirmação aparenta que a confiança no PSB foi quebrada.

Unidos…
Chamou a atenção de todos que acompanham os bastidores da política no Distrito Federal a movimentação da família Roriz. Dona Weslian, Liliane e Joaquim Roriz Neto se filiaram ao PROS, até aí tudo bem, o que não deu pra entender foi porque o sobrinho Dedé Roriz não seguiu a família.

…Sem Dedé
Dedé Roriz, durante os últimos quatro anos, gritou para os quatro cantos de Brasília que era Roriz, Roriz legítimo, puro sangue e de terno “Azul Roriz”. A família? Sempre unida. Porque não? Mas na hora da união, Dedé ficou mesmo foi de fora. Família Roriz toda unida no PROS, sem Dedé, que foi para o PHS.

Aniversário de Ceilândia 1
No fim de semana foi comemorado o aniversário de Ceilândia. A cidade fez 47 anos. A festa contou com transmissão ao vivo do Balanço Geral, da TV Record. Mais de 30 mil pessoas se divertiram com uma programação bem eclética. A deputada distrital Luzia de Paula, moradora de Ceilândia, não escondia a alegria de ter presenciado uma festa tão bonita.

Aniversário de Ceilândia 2
O evento começou, no sábado, com um desfile cívico e militar, em seguida a população teve acesso a serviços como corte de cabelo, emissão de identidade e exames de saúde. Teve brinquedos para as crianças, e também competições esportivas, exposições e ações sociais, corte do bolo de 47 metros e shows na noite de sábado e na tarde de domingo.

ENTORNO

Pré-candidata
A primeira-dama de Águas Lindas se afastou do cargo de secretária Municipal de Assistência Social. Aleandra Sousa esteve a frente da secretária nos últimos 5 anos. Seu afastamento atende o que diz a legislação eleitoral e visa a sua pretensão de disputar uma vaga rumo a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás pelo PTB.

Experiência e prestigio
Aleandra adquiriu experiência tocando dezenas de programas sociais, feito que a qualificou para ocupar a presidência do Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social do Estado de Goiás. O órgão é responsável por discutir e propor as principais políticas públicas de assistência social do estado de Goiás.

Office Truck
O vereador de Luziânia e pré-candidato a deputado estadual Zé Maria (PTC) teve uma ideia bem original aos novos tempos. Zé batizou de Office Truck a promessa de estar com um gabinete itinerante nos bairros.“Uma das minhas propostas de campanha era levar um gabinete de bairro em bairro, ouvindo e agradecendo a população,” disse.

 

BLOG DO FRED LIMA

Ping Pong com Hermeto
Ex-administrador da Candangolândia, João Hermeto não conseguiu se eleger deputado distrital na última eleição, quando obteve 9.664 votos, superando um dos que foram eleitos por conta do quociente eleitoral. Contudo, plantou a semente para o pleito deste ano, quando poderá realizar o sonho de ser um dos 24 deputados distritais da Câmara Legislativa do DF.
Querido na Polícia Militar, onde é subtenente, o ex-administrador conta com o voto da corporação para ser o representante da categoria no Legislativo, além do apoio dos moradores da Candangolândia.
Em conversa com o Blog do Fred Lima, Hermeto fala de sua experiência como administrador, da importância da PM de ter um representante na Câmara e se já escolheu o partido que vai disputar a eleição. Confira:

Como foi administrar a Candangolândia?
Fiquei 8 anos como administrador. Peguei uma Candangolândia e entreguei outra, com várias melhorias. Fizemos a Avenida Contorno, Parque do Bosque e vários pontos de iluminação. Hoje, infelizmente, como morador da cidade há mais de 40 anos, essa atual gestão não conseguiu nem manter o que herdaram. Lamentavelmente, os espaços estão todos abandonados e precisando de melhoria.

Como enxerga a política do atual governo para a PM?
O governador acertou quando escolheu o comandante-geral, coronel Nunes, que é competente e está do lado da tropa. Abstenho-me de falar sobre outras políticas.

Já decidiu para qual partido vai?
Fiquei vários anos no MDB sob a liderança do Tadeu Filippelli. Saí com a benção dele. Ele sabe que realmente preciso de um partido com uma densidade menor. Saí pelas portas da frente. Vou olhar as nominatas, estudar criteriosamente todas elas para depois do dia 07 não dar um tiro errado. Só tenho uma bala de prata. Não posso errar esse tiro. Nas próximas eleições já estarei na reserva e não terei mais as condições que tenho hoje como militar da ativa.

PM
Pela sua magnitude, não pode ficar sem um representante na CLDF.

Candangolândia.
Minha casa, onde tudo começou.

Governo Rollemberg.
Sem comentários.

Tadeu Filippelli.
Grande estrategista político.

Família.
A base de tudo.

 

BLOG DO DONNY SILVA

Filiação de Joel Alves no PTB desperta temor em adversários
Ex-administrador regional do Guará, o simpático e conhecido Joel Alves se filiou aos quarenta e cinco do segundo tempo ao PTB. Tem adversário político tremendo nas bases com medo de Joel sair candidato a distrital nestas eleições. Por quê será?

Alírio Receberá Presidentes De Partidos Nesta Terça (10)
Alírio Neto, presidente do PTB-DF, receberá nesta terça (10) os presidentes do PSD, PSDB, PRB, PSC, DC, PMN, PATRIOTAS, PTB, PPL e PPS para um café na sede regional do partido. Na pauta, a disputa ao Buriti.

Candidatos evangélicos conhecidos disputam vaga de deputado federal
O professor Marcos Pacco é suplente de deputado federal, e obteve quase 28 mil votos em 2014 quando disputou pelo PSB. Ex-administrador do Plano Piloto , o professor tem o apoio do pastor e deputado federal Ronaldo Fonseca. Pacco concorrerá para deputado federal agora pelo PODEMOS.
Maurílio Silva, pastor, ex-deputado distrital, ex-secretário de Governo e Conselheiro aposentado do Tribunal de Contas do DF, será candidato a deputado federal pelo PTB. Bem articulado e muito respeitado e admirado principalmente por rorizistas, Maurílio já tem projetos prontos voltados para o mandato de deputado federal. Experiente, ele foi o presidente da Comissão de Sistematização que elaborou a Lei Orgânica do DF.

De traição em traição
Ex-administrador regional do Guará, André Brandão traiu o amigo, Rodrigo Delmasso e rompeu politicamente com o parlamentar. Depois, ameaçou deixar o governo de Rollemberg (PSB) e chegou a assinar ficha de filiação no PTB. Por último, se filiou ao PSB para não perder os cargos que tem no GDF . Ele será candidato a deputado distrital para tentar derrotar Delmasso. Não será uma tarefa fácil.

Nilo Cerqueira virou coordenador da campanha de Paulo Octávio ao Senado
Em 2014, ABENILIO AIRES CIRQUEIRA, ou simplesmente “Nilo Cerqueira”, obteve 2.462 votos para deputado distrital pelo PTB. Ex-administrador regional do Sudoeste/Octogonal por duas vezes, ex-secretário de Relações Institucionais do GDF e ex-superintendente federal do Ministério da Agricultura de Brasília, Nilo agora é o coodernador da campanha do empresário Paulo Octávio, que concorrerá ao Senado pelo PP. Cerqueira é gente boa, mas sua arrogância é conhecida entre políticos do DF.

 

 

BLOG RÁDIO CORREDOR
Odir Ribeiro

Cuide da nominata ou chore
Eu não sou nenhum entendedor de política e muito menos especialista. Aliás sou da tese de que ninguém entende de política, o que existe é saber analisar as mudanças constantes dessa Ciência, procuro observar bastante e daí tirar minhas conclusões, erradas ou certas. Enfim…
Concluída as filiações dos pré-candidatos a distrital vem outra etapa a crucial de todas: a luta pelo quociente eleitoral que pode ficar entre 50 e 60 mil votos. Ninguém pode cravar esse número, imprevisível.
O partido que quiser estar no páreo para disputar cerca de 15 vagas que sobrarão na CLDF precisa dar condições aos seus candidatos de crescerem. Principalmente os que disputaram as eleições de 2014. Exemplo: candidatos de 1 mil votos precisam ter condições de lutar para pelo menos triplicar a sua votação e por aí vai.
Se depois das filiações, os pré-candidatos forem abandonados, a desmotivação virá junto e serão menos votos na legenda. A maioria dos postulantes que disputam as eleições são desprovidas de recursos e depende de cada ajuda para ter uma boa votação. O dirigente partidário que não der condições para seu candidato ser competitivo, irá tomar na lata. Os tempos são outros e os postulantes não são mais os mesmos.
O maior pesadelo dos presidentes partidários serão os candidatos novatos. Os neófitos, acham que conseguir votos é tão fácil quanto pagar uma puta ou um puto como queiram. Esses sim, vão ser o pesadelos nas eleições e na hora de calcular o quociente eleitoral.
Se os partidos não cuidarem dos seus candidatos, o choro será intenso. Ficar de olhos nos seus é a próxima etapa, o resto é só detalhe.

Resumo da Dança das Nominatas
O PSD está movimentando no quadro de filiações e está conseguindo montar a sua nominata na última hora.
O PSD tem os deputados distritais Cristiano Araújo e Robério Negreiros. Além do vice-governador Renato Santana.
O PSD filiou Risomar Carvalho que será candidato a deputado distrital. Em 2014 Risomar foi candidato a distrital e obteve 10.672 votos.
Outro que filiou no PSD, Dirsomar para ser candidato a distrital. Em 2014 ele foi candidato a distrital e obteve 10.186 votos.
O ex-deputado distrital Paulo Roriz continua no PSDB e tentará uma vaga de distrital. Em 2014 Paulo foi candidato a distrital e obteve 10.960 votos
Dr. Humberto médico da rede pública se filiou ao PSDB e será candidato a deputado distrital.
O sindicalista Jorge Vianna filiou-se ao Podemos e será candidato a deputado distrital. Em 2014 Vianna foi candidato e obteve 7.331 votos
Claudeci Luart( foto) também se filiou ao Podemos e será candidato a distrital. Em 2014 Luart obteve 9.231 votos.
Luiz Pitman e seu filho Tiago Pitman se filiaram ao PMDB e estão a disposição do partido. Atenção!
O ex-administrador da Fercal/Sobradinho II, Alexandre Yanez filiou-se ao PP e irá disputar uma vaga de deputado distrital.
Alzira Folha filiou-se ao PSB e irá disputar uma vaga de deputado distrital.
Diego Arruda filiou-se ao PSDB e irá concorrer a deputado distrital.
Alinne Marquês se filou ao PPL e irá concorrer a deputada distrital.
Jane Ferreira filiou-se ao PPL e irá concorrer a deputada distrital
O deputado distrital Raimundo Ribeiro deixou o PPS e filiou-se ao PMDB de Tadeu Filipelli e tentará a reeleição.
O PMDB terá três deputados distritais a reeleição: Rafael Prudente, Welligton Luiz e Raimundo Ribeiro
Miriam Stein do Portal dos Aposentados se filiou ao PRTB e irá disputar uma vaga de deputada federal.
A Professora Francis Moreira filiou-se ao PSB e irá disputar uma vaga de deputada distrital.
Bolivar Rocha ex-administrador de Brazlândia filiou-se ao Avante e irá disputar uma vaga de deputado distrital.
Dória Freitas, a Dorinha filiou-se ao PHS e irá disputar uma vaga de deputada distrital.
Paula Belmonte (foto) filiou-se ao PPS e irá se candidatar a deputada federal
Daniel Radar também está prestes a filiar no PPS e irá disputar uma vaga de deputado distrital por Santa Maria.
Oseias Ribeiro filiou-se ao PHS e irá se candidatar a deputado distrital. Em 2014 Oseias obteve 4.298 votos.
Deusdete da Clínica Recanto filiou-se ao PPL e será candidato a deputado distrital.
Erivaldo Alves ex-administrador de Santa Maria, ex-petistas e ex-presidente da Federação de Futebol do DF, filiou-se ao PPL e será candidato a deputado distrital.
O Policial Militar, Sansão vice-presidente da Aspra-DF filiou-se ao PPL e será candidato a deputado distrital.
O policial militar José Reis presidente da Associação Comunitária da Ceilândia Norte filiou-se ao PPL e será candidato a deputado distrital.

Resumo das Dança das Nominatas – Capítulo Final
As últimas filiações foram surpreendentes e a sorte está lançada. Aqui afirmamos que pelo menos 10 partidos políticos não irão fazer um deputado distrital sequer.
Candidatos inexperientes vão penar e os mais experientes que souberem mapear o eleitorado terão um horizonte pela frente.
Raad Júnior, Eduardo Pedrosa, Jorge Argello, Carol Charles tentam mostrar que tem vida própria e vão para essas eleições cheios de desafios.
Raad Júnior se filiou ao PSDB e lá tenta o ser o puxador de votos para conseguir uma cadeira na Câmara Legislativa.
Eduardo Pedrosa Filho se filiou ao PTC e não pode pensar só em si, o pré-candidato a distrital precisa fortalecer a nominata.
Carol Charles filiou-se ao PTC filha do ex-deputado distrital Dr. Charles irá disputar vaga na CLDF. Já seu pai Dr. Charles concorrerá federal pelo PHS.
O filho do ex-senador Gim filiou-se ao PRB e tentará vaga de distrital. Engana-se quem pensa que ele é fraco. A sorte está lançada.
O empresário Eliseu Kadesh ainda tem esperanças de concorrer ao Palácio do Buriti. Kadesh filiou-se ao Patriotas de Paulo Fernando.
Daniel do Radar Santa Maria um dos pupilos do senador Reguffe filiou-se ao PPS, seu desafio é enfrentar os tubarões da política. Ele consegue.
Partidos como DEM e PMN correm o risco de não fazer distritais. Só coligando esse milagre acontece.
Agora é esperar algum candidato não citado surpreender todos. Ficamos por aqui.
Então é isso!
E hoje encerramos o quadro “Resumo da Dança das Nominatas”. Agora iremos focar em outras pautas. Nossa mira agora é nas articulações majoritárias.

Pros sela candidatura de Eliana e clã Roriz
Bastou o Pros anunciar a pré-candidatura da ex-deputada Eliana Pedrosa ao GDF com o apoio do clã Roriz para que as lideranças rorizistas e seus admiradores se animassem. O dia hoje foi intenso na casa da deputada distrital Liliane Roriz – que também está filiada ao Pros e deve disputar uma vaga majoritária pelo novo partido.
Sempre ao lado de Eliana e do presidente nacional da legenda Euripdes Júnior, o grupo tem sido bastante procurado pelas lideranças que buscam filiação no Pros e disposição de sair às ruas em defesa da chapa. “Estou muito satisfeito com a vinda da Eliana e de Liliane Roriz para o partido. A união delas, inclusive, tem dado muito conforto e entusiasmo a todos da família Pros”, afirmou Junior.

Jorginho no PRB
Uma das filiações mais especulada nas últimas horas é para onde iria Jorge Argello (foto ao lado de Júlio César) , filho do ex-senador Gim Argello. Pois, é, Jorginho foi para o PRB de Júlio César e Wanderley Tavares.
Lá o rebento irá concorrer a deputado distrital e terá a concorrência de Rodrigo Delmasso e do Pastor Martins.
Ta aí, uma candidatura para acompanhar de perto.

 

BLOG DO HÉLIO DOYLE

Aviso necessário: o blog agora é assinado por um militante do PDT
Nada escrevi, aqui, na semana passada. Nos dois primeiros dias, por falta de tempo. Depois, por falta de tempo e também por falta de vontade. Foi uma semana politicamente atribulada e, para mim, desestimulante: o julgamento do Supremo Tribunal Federal e a prisão de Lula aumentaram o já elevado grau de tensão na sociedade e terão repercussão por muito tempo; e os últimos dias para troca de partidos e filiação dos que pretendem ser candidatos em outubro mostraram toda a podridão do nosso sistema político e eleitoral
Não vou entrar, aqui, no mérito do julgamento do habeas corpus no STF e não vou avaliar os episódios que levaram à prisão de um ex-presidente da República, e nem opinar sobre os motivos alegados pela Justiça para prendê-lo. São temas excessivamente complexos para serem irresponsavelmente tratados em poucas linhas. O sectarismo e a irracionalidade predominantes nos impedem, por exemplo, de ser a favor do cumprimento da pena após o julgamento em segunda instância sem que essa posição seja interpretada como defesa da prisão de Lula. Assim como não podemos criticar os excessos e a parcialidade dos promotores e juízes de Curitiba sem sermos acusados de opositores da Lava-Jato.
A chamada “janela” para que parlamentares pudessem trocar de partidos mostrou como é importante realizar uma profunda mudança na legislação eleitoral e dos partidos políticos. Foi uma semana de muitos negócios e pouca política. O sistema eleitoral brasileiro e as normas que regem o funcionamento das legendas não refletem os tempos atuais e favorecem a corrupção, o mau uso dos recursos públicos, o peso do poder econômico e o fisiologismo. Paradoxalmente, levam à maior fragilidade do sistema político, de suas instituições e dos próprios partidos — hoje, em sua maioria, “empresas” que beneficiam alguns poucos políticos com o dinheiro da população.
A minha falta de tempo na semana passada deveu-se, em boa parte, a inúmeras conversas e reuniões que tive com dirigentes de partidos políticos, parlamentares e possíveis candidatos às próximas eleições. Algumas. em função de minha atividade de consultor político e de comunicação, embora não tenha cobrado um só centavo de nenhum deles. Outras, decorrentes de convites que recebi de três partidos para me filiar com a possibilidade de, eventualmente, candidatar-me a algum cargo.
Na sexta-feira decidi me filiar ao PDT e, de alguma maneira, levar à prática as ideias que venho defendendo. Isso muda o caráter desse blog: era um veículo de informações, análises e opiniões de um jornalista sem vínculo partidário e passa a ser de um militante de partido político. Isso faz diferença, e precisa ser explicitado.

O que eu digo sobre minha filiação ao PDT
Entrevista de: João Negrão, do blog Repórter Brasil Central – O jornalista Hélio Doyle acaba de se filiar ao PDT. Foi no último sábado (7), prazo final para as filiações partidárias para quem desejar concorrer às eleições deste ano. Apesar disso, Doyle não confirma que será candidato. “Não penso em ser candidato, mas também não excluo a possibilidade, caso seja um projeto do PDT”, disse. Ele afirma que foi para o PDT para colaborar com o partido, como elaborar o projeto da legenda para Brasília e na campanha do ex-ministro Ciro Gomes ao Palácio do Planalto. Eu conversei com ele no início da noite deste domingo. Confira a breve entrevista:

Por que você decidiu se filiar ao PDT? Vai ser candidato?
Eu tomei a decisão de não trabalhar profissionalmente nesta campanha para governador porque fui coordenador da campanha do Rodrigo [Rollemberg] e não me sentiria bem trabalhando agora contra ele. Tenho de fazer uma espécie de quarentena, como fiz em 1998, não trabalhando contra Cristovam Buarque. Mas eu disse ao Rodrigo e a todos os possíveis candidatos que me procuraram que poderia “trabalhar” como militante, por um candidato com o qual tivesse afinidade. O George Michel, presidente do PDT, me convidou para participar da elaboração do projeto do partido para Brasília, independentemente de quem seja o candidato a governador. Pediu-me também que colaborasse na campanha do Ciro Gomes.

Mas há a possibilidade de você ser candidato?
O George Michel sugeriu que eu me filiasse no prazo para a eventualidade de ser candidato. Não penso em ser candidato, mas também não excluo a possibilidade, caso seja um projeto do PDT.

Qual cargo? Especula-se que você possa concorrer para governador.
Há muitos anos não milito em partido, mas quando milito me integro a um projeto. Se o partido achar importante, posso ser candidato a qualquer função, ou a nenhuma. Não é uma decisão individual. Acho fundamental que o PDT tenha um candidato a governador, para a campanha de Ciro. Sempre disse que todos os partidos que têm candidato a presidente devem lançar candidatos ao governo.

Como você analisa o atual quadro político do país? Há quem acredite que possa até não haver eleições?
Não haver eleições será um golpe maior e mais grave do que o golpe parlamentar que derrubou Dilma. Não acredito que cheguemos a esse ponto. O quadro é grave, mas as eleições podem ser uma tentativa de buscarmos um governo legítimo e que nos traga estabilidade.

Como você avalia o governo de Rollemberg?
Se 80% da população desaprova o governo de Rollemberg, não pode ser um bom governo. É um governo que tinha tudo para ser o melhor que já tivemos, mas é muito ruim. Rollemberg errou ao não saber dialogar com a população, ao manter relações espúrias com a Câmara, ao não ter capacidade de gestão para assegurar o desenvolvimento e os serviços básicos apesar da carência financeira, ao manter práticas antiquadas de governo e de fazer política.

 

BLOG DO CHICO SANT’ANNA

Urbanismo: TCDF manda despejar empresários no SOF Sul
Vai ficar delicada a situação dos estabelecimentos comerciais instalados em áreas públicas do Guará. Por meio da Decisão 1210/2018 (Processo 27639/2016), de 15/03/2018, o Tribunal de Contas do DF determinou ao GDF a retirada de ocupações irregulares de áreas públicas nas imediações do Park Sul, próximo ao Carrefour, e em outras localidades do Guará. Essas áreas são ocupadas há longa data por grandes e tradicionais empreendimentos comerciais. A desocupação das áreas deve ocorrer até 14 de maio.
Na decisão, o TCDF determina à administração regional do Guará, que cancele as autorizações de uso de uma ampla relação de áreas públicas, pois aquele órgão teria se valido de uma lei que trata de autorizações precárias e provisórias para dar um caráter permanente e habitual à instalação de uma série de empreendimentos comerciais.

Empreendimentos vetados
A decisão do TCDF relaciona a Área Especial “A” da QE 11 do Guará I, atualmente ocupada pelo Colégio Maxwel; o lote 9, do Setor de Garagens e Concessionárias de Veículos Sul – SGCV Sul, atualmente ocupado pelos empreendimentos Premoldados Brasil, Multsol, Primetek (antiga CTIS), Paper House, Casa Pronta e Dr. Colchão; o lote 12, do Setor de Garagens e Concessionárias de Veículos Sul – SGCV Sul, atualmente ocupado pelo Grupo SAGA, que conta com 32 concessionárias de veículos espalhadas pelo Centro-Oeste e Norte do Brasil.
Também se deliberou que o ex-administrador regional do Guará durante o governo Agnelo Queiroz (2011 a 2014), Carlos Nogueira da Costa, explique os motivos de conceder tais autorizações. Em 2014, Carlos Nogueira foi candidato a deputado distrital pelo PEN, e poderá sofrer penalização de aplicação de multas. O relator do processo é o conselheiro Márcio Michel Alves de Oliveira.

Batalhão à beira lago na mansão do ex-senador Valmir Amaral
O que antes era o simbolo da mordomia e de ocupação irregular de terras públicas na Capital Federal, poderá, agora, se tornar em instalação de serviço à comunidade. A área pública no Lago Sul, antes ocupada pela mansão do ex-senador Valmir Amaral, poderá dar lugar à nova sede do Batalhão de Operações Especiais – Bope.
Este é, pelo menos, o desejo de alguns empresários do Lago Sul, que veem na medida uma forma de ampliar o contingente que a Polícia Militar possui para policiar o bairro, hoje reduzido a, cerca, de 150 PMs.
A área verde, às margens do Lago Paranoá, foi desocupada recentemente, pois ocupava irregularmente área pública. Sua localização considerada estratégica por estar próxima ao Setor de Embaixadas e à Esplanada dos Ministérios. Além disso, já possui um heliporto credenciado pela Anac.
A mansão possui três campos de futebol, estacionamento amplo, churrasqueira, pier de atracação de barcos, piscina tipo ofurô com hidromassagem e até heliporto. Tudo ficou abandonado desde que os moradores deixaram o local. Segundo o portal G-1, moradores de rua também usam com frequência os espaços do local para dormir e pessoas são flagradas com frequência desfrutando da piscina. Além disso, pescadores são vistos no antigo deck, onde eram estacionadas as embarcações do empresário. Há quem defenda, contudo, que lá seja instalado o Batalhão Lacustre da Polícia Militar, que hoje possui estrutura precária na cabeceira da Ponte das Garças, também no Lago Sul.

Parque Público
Há, ainda, aqueles que julgam que as instalações da mordomia do ex-senado se transforme em um parque público aberto à população, como acontece com o Parque Engenheiro Cláudio Sant’Anna (ex-deck Sul), na margem oposta do Lago Paranoá.

Saúde: Ainda não temos o que comemorar em Brasília
Em 7 de abril, comemorou-se o Dia Mundial da Saúde. Essa data foi estabelecida para coincidir com a data de fundação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e, anualmente, a OMS prioriza um tema a ser discutido. “Saúde para todos” resume o objetivo desta prestigiosa Organização ao longo dos seus 70 anos de existência, e marca o tema em 2018.
O mundo e vários municípios brasileiros, tem muito o que comemorar, o que não podemos dizer do Distrito Federal. Brasília, a Capital da Esperança, ainda não tem motivos para celebrar a saúde. Poderíamos apresentar diversas razões, no entanto sintetizamos:
No DF, há uma semana, o atendimento das emergências pediátricas foram suspensas, levando a extinção da unidade de pediatria do Hospital Regional do Gama, levando ao colapso o cuidado às crianças em seus primeiros ciclos vitais;
A oportunidade de cura dos cânceres está sendo perdida pelo diagnóstico cada vez mais tardio;
Perdas de leitos para internação vem provocando alta demanda reprimida, deixando as pessoas em corredores dos prontos socorros;
Pior ainda, as cirurgias eletivas esperam mais de ano para suas realizações;
O que dizer das perdas de leitos de UTI, levando a óbitos pacientes em estado grave;
E mais, ainda convivemos com o silêncio da gestão sobre o escândalo das UTIs;
Por que o silêncio sobre tomógrafos e endoscópios quebrados há mais de um ano, chuva dentro das maternidades;
Ausência de diálogo e outras infindáveis questões com as quais devemos nos preocupar. Destacamos porém nosso apoio aos profissionais da saúde, que mesmo sem condições de trabalho, se esmeram para cumprir seus papeis.
Precisamos mudar esse perverso quadro das doenças nos modos de organizar e gerir o Sistema Único de Saúde (SUS) no DF, sob pena de continuarmos seguindo, ano após ano, alertando sobre os principais problemas que afligem a vida e a saúde dos indivíduos, famílias e comunidades da capital da República.
Que permaneçamos buscando, nos próximos anos, motivos para comemorarmos o dia mundial de Saúde. Nessa matéria, cremos que nem a Câmara Legislativa do DF, tão pouco o Ministério Público, nada tem a comemorar de igual medida.
Reage Brasília!

Eleições nas Administrações Regionais do DF
O governador Rodrigo Rollemberg enviou projeto de lei, à Câmara Legislativa, propondo eleições para as administrações regionais em 2022.
Antes de se falar em eleição, é necessário dotar de autonomia orçamentária às regiões administrativas e de autossuficiência funcional às administrações regionais. Atualmente, em média, 90% dos servidores desses órgãos são comissionados, apadrinhados políticos.
Confira o vídeo com o comentário do jornalista Chico Sant’Anna sobre o cenário para a proposta de eleições nas Administrações Regionais do DF, veiculado no programa “Direito de Antena” da TV Comunitária de Brasília, Canal Cidade Livre.

As eleições no DF para o Senado
Duas vagas do Distrito Federal para o Senado Federal estarão em jogo nas eleições deste ano.
O brasiliense vai votar duas vezes para o Senado, além de escolher seus deputados distritais, federais, governador e presidente da República.
Acompanhe no vídeo o comentário do jornalista Chico Sant’Anna sobre o cenário para as eleições ao Senado em 2018 e o cuidado de que o eleitor brasiliense precisa tomar. O comentário foi veiculado no programa “Direito de Antena” da TV Comunitária de Brasília, o Canal Cidade Livre.



Autor: admin
Jornalista, Cientista Político, especialista em Marketing Político, consultor político ABCOP e sócio-fundador da Tracker Consultoria e Assessoria.

Deixe uma resposta